Saiba como a taxa de juros impacta no mercado imobiliário!

    O acesso ao crédito fica comprometido por conta do aumento da taxa de juros. Saiba como o aumento dos juros impacta o setor imobiliário!

    Chaves na MãoPor : Chaves na Mão3 anos atrás

    O acesso ao crédito fica comprometido por conta do aumento da taxa de juros.

    Saiba como o aumento dos juros impacta o setor imobiliário!

    Por conta da crise que afetou o país, atingindo o setor político e econômico, influenciou diretamente a cobrança da taxa de juros, mais conhecida como a taxa Selic, deixando-a em um grande patamar. Este cenário comprometeu diretamente o acesso ao crédito!

    O impacto dos juros faz com que o governo reorganize o setor e os agentes financeiros retomem o crédito. Saiba que a poupança, é o grande propulsor do setor. Ela é calculada a partir da TR, ou seja, Taxa Referencial, criada no governo Collor para servir de referência na hora de compor as taxas de juros, principalmente quando se fala do setor imobiliário.

    Saiba como o aumento da taxa de juros impacta o setor imobiliário

    Saul Sabbá, presidente do Banco Máxima, fez uma análise do impacto da redução dos juros. Confira:

    “A caderneta de poupança tem juros rígidos, estabelecidos em TR + 6% ao ano. Com o déficit do balanço da poupança em mais de 100 bilhões ao longo de 3 anos, o setor de crédito ficou bastante restritivo.

    A queda dos juros em cada ponto percentual se aproxima mais da curva da poupança, que é o rendimento da caderneta. A curva atualmente está em TR + 6% ao ano. O impacto do déficit tende a diminuir e a reequilibrar o setor, além de diminuir a distância das taxas de outros ativos. O Copom, já agora em janeiro, deverá refletir a direção da queda contínua dos juros salvo alguma mudança no cenário doméstico”.

    Sabbá, ainda diz que “o sistema de crédito imobiliário tem sua formação inicial baseada no tripé dos juros adequados, inflação controlada e prazos longos. Os bancos ligados ao sistema de habitação chegam a financiar em até 30 anos. Isso faz com que cada ponto percentual na Selic seja muito significativo no cunho de formação do custo de capital de toda a cadeia. O crédito de longo prazo é importantíssimo na formação da liquidez do sistema imobiliário. Por exemplo, quando a prestação converge com os aluguéis de residências ou mesmo comerciais, a parcela encaixa no bolso. Em consequência, o mercado de compra de imóvel melhora sua liquidez e impacta na demanda por imóveis”.

    No setor imobiliário, alguns pontos puderam ser levantados e pode se retratar como as taxas e juros podem afetá-lo. Confira:

    A tão temida e frequente dívida

    Com o aumento na cobrança dos juros, o valor do imóvel aumenta e, consequentemente, o valor da dívida para quem decide adquirir o imóvel por meio do financiamento.

    Para entender, não é difícil! Confore ocorre a elevação da taxa Selic, os bancos e outras instituições financeiras aumentam as taxas cobradas no financiamento, podendo até passar da casa dos dois dígitos. Com esta situação, o valor da dívida aumenta.

    Algumas pesquisas apontaram que quase 60 milhões de brasileiros não pagam as dívidas em dia. O número de pessoas que não pagaram as dívidas em janeiro deste ano foi o maior dentre os cinco anos anteriores! Mas, os economistas seguem otimistas. Segundo eles, este quadro ficará muito melhor no próximo ano.

    Cenário gera compradores inseguros

    E assim, tudo se transforma em uma bola de neve gerando grande insegurança por parte dos compradores. Tudo sendo gerado pelo reajuste da taxa de juros e o atual cenário econômico.

    A instabilidade tira a segurança dos brasileiros na hora de assumir uma grande responsabilidade econômica que será levada a longo prazo, no caso de um financiamento, por exemplo.

    No caso de quem já está preparado financeiramente e está disposto a dar uma boa quantia de entrada ou que pode realizar um pagamento mais pesado, costuma evitar o financiamento.

    Nesta situação, onde não é possível encontrar grande estabilidade profissional, o setor imobiliário sai prejudicado.

    Setor imobiliário prejudicado é sinônimo de baixa procura

    Tendo em vista que o financiamento é o meio preferido para realizar a compra de imóveis aqui no Brasil e sabendo que a taxa de juros potencializam o valor da dívida que será financiada, os imóveis sofrem com a queda das buscas. Assim, os compradores entram em uma esfera cautelosa, pois ficam à espera da melhora do cenário atual ou que a sua situação financeira melhore para poder fechar o negócio.

    Para não impactar bruscamente, boa parte dos compradores preferem juntar o valor necessário para dar de entrada na compra do imóvel e poder encurtar o prazo para quitar ou reduzir o valor de cada parcela.

    Considerando que o financiamento é, de modo geral, o meio preferido de compra de imóveis da população brasileira e sabendo que a taxa de juros aumentam o valor da dívida financiada, tem-se como consequência, uma queda na procura por imóveis. Nesse contexto, é comum que os clientes adotem uma estratégia de cautela, esperando por uma situação mais favorável para dar andamento a qualquer transação imobiliária. Assim, em vez de fecharem logo o financiamento, costumam preferir juntar um valor maior para dar de entrada, por exemplo, encurtando o prazo para quitação total ou diminuindo o preço das parcelas.

    Saiba como o aumento da taxa de juros impacta o setor imobiliário

    É hora das imobiliárias saírem da zona de conforto!

    Quando a busca por imóveis é reduzida por conta da alta na taxa de juros, é hora das imobiliárias saírem da zona de conforto e buscarem por alternativas para chamar a atenção dos clientes novamente. Tudo isso para reverter a situação e não sair no prejuízo.

    Uma estratégia que algumas imobiliárias adotaram, é a famosa oferta de descontos, facilitando o financiamento do imóvel. É nesta hora que é possível criar estratégias! As formas de pagamentos diferenciadas precisam ser analisadas, como por exemplo: carros usados ou até imóveis de menor valor. É preciso colocar na balança e estudar as possibilidades para não ficar no prejuízo e ser levado pela crise.

    Outra medida que pode ser adotada para facilitar o pagamento é oferecer vantagens. Pagar uma parte da documentação solicitada pode ser uma delas!

    Confira em nosso site as melhores ofertas de imóveis à venda.