Saiba como financiar um imóvel em 6 passos

    Ter a casa própria é um sonho que todo brasileiro deseja realizar, afinal, é nesse local viverá bons momentos. Mas você sabe como financiar um imóvel?

    Chaves na MãoPor : Chaves na Mão5 meses atrás

    Morar de aluguel oferece algumas vantagens, mas todo mundo sabe: morar em uma casa ou apartamento próprio é um sonho que todo brasileiro deseja realizar, afinal, é nesse local que a sua família construirá lembranças e viverá bons momentos com os amigos. Mas você sabe como financiar um imóvel?

    Muita gente acredita que fazer um empréstimo imobiliário é um bicho de sete cabeças — essa percepção é exagerada.

    Conhecendo as etapas que permeiam esse processo e buscando informações confiáveis, você certamente conseguirá obter um financiamento que se adeque às suas necessidades.

    Quer saber quais são essas etapas? Então continue a leitura, pois é isso que você vai descobrir ao ler este artigo. Vamos lá?

    1. Entenda as modalidades de financiamento existentes

    O primeiro passo que toda pessoa que deseja descobrir como financiar um imóvel precisa entender é a diferença entre dois termos: SAC e Price. Já ouviu falar neles? Fique tranquilo, a gente explica!

    Essas duas palavras remetem a dois sistemas de amortização do empréstimo, ou seja, duas formas diferentes de pagar a dívida no longo prazo.

    A escolha por um modelo em detrimento de outro impactará diretamente no custo das parcelas.

    Para entender como esses sistemas funcionam é preciso compreender, primeiramente, que as prestações de um financiamento imobiliário são compostas por duas fatias: uma referente aos juros (a quantia por meio da qual você remunera o banco pelo empréstimo obtido) e outra referente à amortização, ou seja, à devolução do valor efetivamente emprestado pela instituição.

    Tabela Price

    Nesse modelo, a fatia maior das primeiras prestações é composta por juros e somente uma quantidade menor é paga a fim de amortizar a dívida. No entanto, ao longo do tempo, a parte correspondente aos juros diminui, mas a da amortização cresce.

    Há uma inversão gradual entre o tamanho de cada fatia, o que gera um placar de zero a zero: o valor das parcelas tende a ser bem parecido durante todo o período.

    SAC (Sistema de Amortização Constante)

    Diferentemente da primeira modalidade, quem opta pelo SAC paga o mesmo valor de amortização ao longo de todo o financiamento — o tamanho dessa fatia é fixo.

    Entretanto, assim como na Tabela Price, a parte referente aos juros vai caindo com o tempo e, junto dela, o custo final das parcelas.

    Tendo em vista que o valor de amortização é constante — diferente da Price, em que ele é menor no início — o custo das primeiras prestações tende a ser superior se comparado ao outro sistema.

    Porém, com o passar dos anos, essa quantia mensal cai em virtude da diminuição da fatia correspondente aos juros.

    Qual escolher?

    Obviamente, essa é uma decisão pessoal que deve considerar a sua capacidade financeira e as suas expectativas para o futuro. Se você pode arcar com parcelas maiores atualmente, o SAC permitirá a redução dos desembolsos posteriormente.

    No entanto, se a sua capacidade financeira atual é menor e há expectativas de crescimento da renda familiar, a tabela Price pode ser mais apropriada, já que as suas parcelas tendem a ser inferiores em comparação com o outro sistema e fixas ao longo de todo o financiamento.

    2. Descubra o seu limite de crédito disponível

    Como financiar um imóvel sem conversar com as instituições financeiras?

    São elas que informarão quais são as linhas de financiamentos disponíveis e quais os limites de crédito pré-aprovados, bem como promoverão uma reavaliação da sua renda familiar, se necessário, a fim de determinar o novo limite do qual você poderá usufruir.

    Essa informação é fundamental e deve ser obtida logo no início do processo, pois o seu limite de crédito definirá a faixa de imóveis que você deve buscar — contratar uma imobiliária vai tornar mais fácil a missão de encontrar a propriedade ideal! 

    Afinal, de nada adianta encontrar um super apartamento que não cabe no bolso, não é mesmo?

    3. Analise o seu orçamento familiar

    Se tem uma situação terrível que todos devemos evitar, é ficar atolados em dívidas, concorda? Esse problema, capaz de tirar o sono e a tranquilidade de qualquer pessoa, deve ser contornado por meio de uma análise honesta do seu orçamento familiaruma boa preparação financeira.

    Não caia na empolgação de assumir uma dívida incompatível com os seus rendimentos: faça as contas considerando o longo prazo e as perspectivas de evolução da sua renda, sempre de forma realista, certo? Assim você evita apertos e até mesmo situações desagradáveis, como tornar-se inadimplente junto ao credor e ter a sua conquista posta em risco.

    Se for necessário, liste todos os seus gastos e corte aqueles que forem supérfluos. Esse é um esforço temporário que será recompensado com a realização do sonho da casa própria.

    Por fim, lembre-se que a compra de uma casa ou apartamento inclui despesas extras que, normalmente, são pagas pelo comprador, a exemplo dos impostos e taxas administrativas.

    Sendo assim, separe uma quantia para esse fim e evite ser pego de surpresa.

    4. Pesquise as melhores taxas antes de financiar um imóvel

    Não existe uma tabela fixa de taxas de juros para financiamentos imobiliários. Sendo assim, cada banco define a sua própria taxa.

    Por tal motivo, é fundamental que você procure cada instituição e se informe não apenas acerca dos procedimentos sobre como financiar um imóvel, mas também sobre os valores cobrados no empréstimo, a fim de pagar menos no final.

    Além da taxa de juros, é importante comparar o Custo Efetivo Total (CET) de cada instituição. Esse número, normalmente apresentado em forma de percentual ao ano, compõe todos os custos que envolvem o financiamento.

    Portanto, reflete de forma realista os valores a serem desembolsados.

    Fique ligado: os bancos e financeiras são obrigados a informar o CET aos seus clientes!

    5. Veja se é possível utilizar o FGTS

    Você tem saldo acumulado no Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS)? Pois saiba que essa quantia pode ser utilizada tanto no pagamento parcial das prestações do financiamento quanto para amortizar ou até mesmo liquidar o saldo devedor.

    Para isso, há algumas regras referentes ao imóvel que devem ser observadas:

    • precisa ter como finalidade a sua moradia; 
    • deve ser residencial, urbano e pode estar ainda em construção; 
    • deve se localizar no município onde está o seu trabalho principal, em cidades vizinhas ou, ainda, em municípios integrantes da mesma região metropolitana; 
    • o valor da avaliação do imóvel precisa ser de até R$ 500 mil.

    Sabendo disso, resta a dúvida: como financiar um imóvel com a ajuda do FGTS? No momento de contratar o empréstimo, é importante indicar a sua intenção de utilizar o fundo de garantia, pois o agente financeiro poderá informá-lo com detalhes sobre a documentação e os trâmites necessários para a liberação da quantia.

    6. Escolha o melhor financiamento e feche negócio!

    Chegamos à última etapa do nosso passo a passo para comprar a casa própria com a ajuda de um financiamento: após entender as modalidades de amortização existentes, analisar o seu orçamento familiar e comparar as taxas de juros oferecidas pelo mercado, é importante escolher a melhor oferta e, finalmente, fechar negócio!

    Não deixe de ler o contrato por completo e sanar todas as dúvidas que surgirem junto ao funcionário do banco, afinal, você assumirá uma dívida grande e de longo prazo, motivo pelo qual é importante evitar surpresas.

    Comprar uma casa ou apartamento para morar é um momento único na vida de qualquer família. A partir do momento em que é feita a mudança para algo que é seu e se passa a viver os seus momentos juntos nesse novo lugar, não tem jeito: ninguém quer voltar atrás!

    Portanto, nossa dica de ouro para fechar a conversa sobre como financiar um imóvel é: planeje-se com atenção e, quando tudo der certo, aproveite bastante o seu novo lar, combinado?

    Se você gostou das dicas apresentadas, assine a nossa newsletter para receber mais conteúdo de qualidade, em primeira mão, diretamente no seu e-mail!

    Encontre o imóvel ideal para comprar ou alugar com várias ofertas.