Contrato de locação: o que você precisa saber sobre reajustes e reformas

    Por vezes, certas burocracias envolvidas no contrato de locação de um imóvel acabam resultando em dores de cabeça, pois as diversas cláusulas do contrato nem sempre ficam muito claras para quem está locando.

    Chaves na MãoPor : Chaves na Mão4 anos atrás

    Contrato de locação

    Por vezes, certas burocracias envolvidas no contrato de locação de um imóvel acabam resultando em dores de cabeça, pois as diversas cláusulas do contrato nem sempre ficam muito claras para quem está locando.

    Porém, é importantíssimo que o locatário esteja atento sobre todas as ações e benefícios acordados, para evitar surpresas desagradáveis.

    Reajustes: programe-se!

    Uma parte essencial a se prestar atenção, é sobre os possíveis reajustes anuais do valor do aluguel, pois boa parte dos contratos de locação acaba utilizando o IGP-M (índice geral de preços de mercado da FGV), o que significa que o valor que você paga hoje pode não ser o mesmo que você vai pagar no próximo ano, e que exige uma organização financeira.

    Esse reajuste é de acordo com a atualização monetária do valor do aluguel sob a desvalorização da moeda.

    E a revisão, por sua vez, é feita para adequar o valor do aluguel pago ao valor real de mercado.

    Se não houver um acordo sobre o tempo de revisão, esta será feita após três anos de vigência do contrato.

    O ideal é que isso seja devidamente acordado entre locador, locatário e imobiliária responsável.

    Reformas: quem paga? Locador ou locatário?

    Às vezes o imóvel exige algumas reformas que são extremamente necessárias para o conforto e segurança de quem está alugando.

    Mas, nem sempre o locador está ciente disso e por fim acaba disponibilizando o imóvel com certos probleminhas.

    Mas, quem é o responsável por esta reforma? Ou melhor, quem deve arcar com os custos?

    Para estes casos, as despesas do imóvel locado cabem exclusivamente ao locador e não podem ser transferidas ao locatário.

    Obviamente que se o inquilino interferir na estrutura por conta própria, seja para melhorias ou por cuidados indevidos, os custos exigidos já não são mais de responsabilidade do locador.

    A dica é: para qualquer que seja a situação que necessite de uma reforma, consulte o locador ou a imobiliária. Assim, você evitará possíveis transtornos e até mesmo gastos desnecessários.

    Confira em nosso site as melhores ofertas de imóveis para alugar.