6 dicas simples para alugar um imóvel sem dor de cabeça

    Pronto para dar o primeiro passo rumo à sua mudança? Confira agora nossas 6 dicas para alugar um imóvel sem dor de cabeça.

    Chaves na MãoPor : Chaves na Mão5 meses atrás

    Quem nunca lidou com as transações e a burocracia do mercado imobiliário pode ficar em dúvida quando chega a hora de procurar uma propriedade. A boa notícia é que, com algumas dicas para alugar um imóvel, fica mais fácil garantir uma boa negociação com preço justo, sem perrengues financeiros e fazendo a escolha do imóvel certo.

    Para ajudar você a ficar atento ao que é mais importante, preparamos este material com as melhores dicas para alugar o imóvel ideal. Sem estresse, sem prejuízo e sem arrependimentos.

    Pronto para dar o primeiro passo rumo à sua mudança? Confira agora nossas 6 orientações essenciais!

    1. Organize suas finanças

    Muitos tentam fugir desse passo, mas ele é o primeiro para garantir que o aluguel de um imóvel saia conforme o planejado.

    Alugar um espaço significa ter despesas mensais. Além do valor pago ao proprietário ou à imobiliária, ainda existe o condomínio e as despesas individuais. Por isso, para saber se você não vai passar por situações complicadas no futuro, é importante fazer um planejamento financeiro.

    Analise, de acordo com as suas receitas, quanto você poderá investir no aluguel de um imóvel. O ideal é que os gastos não ultrapassem 30% da renda familiar. Essa é uma margem que deixará você tranquilo para conseguir arcar com os gastos e eventuais emergências.

    Avalie, também, se está em um emprego estável e procure manter uma reserva financeira. Basta poupar um pouco todos os meses para garantir alguma segurança.

    Sabendo o valor exato do seu aluguel ideal, fica muito mais fácil filtrar as opções disponíveis no mercado.

    2. Considere todas as despesas

    Essa dica complementa a anterior, mas é necessário separá-la para que você entenda tudo o que está incluído na hora de alugar um imóvel.

    Além do valor de aluguel e condomínio, certifique-se de colocar na ponta do lápis valores como IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano), água, luz e gás. Inclua também as taxas de FCI (Fundo de Conservação do Imóvel) e eventuais reparos com os quais você possa vir a arcar.

    Outra despesa é a de manutenção, principalmente em casas com quintais. Você vai precisar de uma reserva para pagar limpeza de jardim e até desentupimento de fossas, em alguns casos.

    O importante, aqui, é pensar em todas as hipóteses possíveis para que o dinheiro não falte e você não se desespere por falta de planejamento.

    3. Não abra mão de um contrato

    Independentemente de negociar com uma imobiliária ou direto com o proprietário, é imprescindível que você alugue o imóvel por meio de um contrato. Ele é o documento que garante seus direitos e discrimina seus deveres como inquilino.

    Fique atento às cláusulas e confira se os valores e taxas estão listados de forma objetiva. Além disso, também é essencial que o documento defina quem é responsável por quais pagamentos. Isso porque, em uma negociação, é normal que o inquilino e o proprietário entrem em um acordo a respeito da taxa de IPTU, por exemplo.

    Confira, ainda, se as penalidades e multas estão previstas e se as taxas não estão sendo abusivas. Descontos para pagamento em dia também devem estar especificados e claros em um contrato de aluguel de imóvel.

    4. Avalie as necessidades dos moradores

    Vai morar sozinho ou com a família? Não deixe de avaliar as necessidades de quem vai morar no imóvel para escolher a unidade indicada para o seu caso.

    Para pesquisar imóveis, utilize um site de classificados responsável e idôneo e filtre as opções disponíveis. Analise a metragem ideal, a quantidade de cômodos e amplitude dos espaços para que caibam os móveis que você já possui.

    Se tem crianças, por exemplo, um condomínio com áreas de lazer pode ser uma oportunidade para dar mais qualidade de vida aos pequenos. Da mesma forma, procure imóveis que tenham vagas de garagem, se você precisar, e verifique quantos carros cabem no espaço.

    Morar só também exige cuidados nessa hora. Se quer montar um escritório ou ter um cômodo livre para guardar seus objetos, contabilize um cômodo a mais.

    5. Liste os melhores bairros para a sua realidade

    Avaliar e elencar os bairros ideais para você também ajuda a filtrar as opções de imóveis disponíveis. Isso porque, por mais que um bairro mais afastado seja mais barato, talvez você acabe gastando mais com transporte para ir ao trabalho, por exemplo.

    Limite suas buscas e tenha em mente os bairros mais indicados para que você tenha trajetos tranquilos para a empresa, para a escola dos filhos e outros locais que você visita com frequência. Ainda assim, abra um leque de opções para não dificultar a busca.

    Outra análise de bairro a ser feita é a respeito das suas preferências. Se você quer um local mais agitado, um bairro predominantemente residencial talvez o entedie. O mesmo vale para pessoas mais tranquilas, que podem preferir evitar regiões centrais.

    A localização também é importante para definir o que você pretende para o seu dia a dia. Muitas pessoas priorizam ruas arborizadas e praças no entorno, então, faça esse tipo de pesquisa.

    A segurança e a infraestrutura de uma região também são muito importantes. Procure saber como é a segurança do bairro e se existem pontos comerciais próximos que podem facilitar sua vida. Ninguém quer passar meia hora em um trânsito caótico para comprar o pão do café da manhã, não é mesmo?

    6. Faça uma vistoria no imóvel antes de fechar negócio

    Encontrou o imóvel que tem a sua cara? Então agora é hora de realizar a vistoria no imóvel. Essa etapa garante que você deverá devolver a propriedade ao inquilino no mesmo estado em que a recebeu. A maior vantagem é não precisar arcar com danos que prejudicam a moradia. Outro benefício é não precisar trocar aquela maçaneta lascada que já existia antes de você colocar os pés na propriedade.

    Para fazer isso, é essencial ter paciência e reservar um tempo para analisar a construção. Procure ter um período à disposição para anotar o estado da estrutura e todos os defeitos que o imóvel apresenta. Isso também pode ser útil na hora de pedir um desconto.

    Existem checklists de vistoria disponíveis na internet para ajudar você a não esquecer de nenhum centímetro quadrado. Registre tudo com imagens e anexe ao contrato de aluguel do imóvel.

    Se preferir, contrate uma empresa especializada em vistorias. Caso sua negociação seja feita por meio de uma imobiliária, a empresa disponibiliza esse serviço mediante o pagamento de uma pequena taxa.

    Ter cuidado na hora de alugar uma propriedade garante comodidade, sossego e segurança para a sua família, afinal, essa é uma decisão que vai impactar na vida de todos.

    Agora que você conheceu as principais dicas para alugar um imóvel, assine nossa newsletter para receber todos os conteúdos a respeito de mercado imobiliário, decoração, melhores bairros e negociações de sucesso!