Fui eleito síndico. O que devo fazer?

    O síndico é essencial para que haja garantia de harmonia no condomínio e respeito entre os moradores. Confira aqui qual é o próximo passo.

    Chaves na MãoPor : Chaves na Mão5 anos atrás

    Em um condomínio, o síndico é uma pessoa – condômina ou não – eleita em uma assembleia geral, para administrá-lo por um prazo de dois anos no máximo. Ele poderá, ainda, ser reeleito, lembrando de que o número de reeleições deve ser regrado na convenção do condomínio e que, no caso de não haver nada especificando com agir em casos como esse, o síndico pode ser reeleito quantas vezes decidir a assembleia geral.

    O síndico é essencial para que haja garantia de harmonia no condomínio e respeito entre os moradores. É ele quem convoca assembleias que discutirão assuntos referentes ao dia-a-dia do condomínio, representando o condomínio na defesa de interesses comuns a todos os moradores, escolhendo empresas prestadoras de serviços quando houver necessidade de executar obras no edifício, gerenciando o corpo de funcionários, entre outras atribuições.

    Se achar necessário, o síndico pode contratar um administrador que o auxilie nos processos do condomínio, contanto que essa contratação seja submetida à aprovação de uma assembleia, uma vez que isso acarretará em gastos aos condôminos. E por falar em gastos, o síndico somente poderá realizar obras sem antes consultar a assembleia no caso de emergências de baixo custo, devendo sempre prestar contas aos moradores no futuro – é obrigação do síndico prestar contas de todos os gastos do condomínio, justificando cada um deles, sejam obras ou investimentos.

    Mas, entre todos os deveres atribuídos ao síndico, o mais importante é ter sido eleito para assumir as responsabilidades penais e civis por sua administração e danos causados por moradores do condomínio, no caso de não cumprimento de suas atribuições. Portanto esse trabalho exige muita responsabilidade e dedicação.

    Além disso, sua função relativa a administração do quadro de funcionários não se limita somente às contratações e demissões. É necessário, ainda, revisar com frequência o corpo de empregados, afim de evitar acumulo de funções e muitas horas extras. Esse tipo de atuação não é para qualquer um, e o mercado de trabalho sabe disso, exigindo o máximo de preparação profissional para tal e, inclusive, oferecendo treinamentos voltados à profissão.

    Concluindo, assumir a função de síndico é muito difícil, e trabalho não falta nunca. A lista de obrigações e responsabilidades é extensa e as críticas são muito frequentes, por mais que você seja um síndico prestativo e responsável. Ainda assim há os moradores de se dedicam ao bem comum e entende que, prestando esse serviço, estão preservando o seu próprio patrimônio. Ou seja, você já sabe o que NÃO fazer: entender o condomínio como uma propriedade só sua, onde você pode tomar somente as decisões que você julgar corretas, independente da opinião dos condôminos.

    Nós, do Chaves na Mão, lhe desejamos uma ótima administração. 😉

    Confira em nosso site as melhores ofertas de imóveis à venda.