Veja o que deve ser verificado em uma compra de moto usada

    Elaboramos uma checklist que descomplica e aponta os fatores para a compra de moto usada. Confira todos abaixo e feche negócio sem dor de cabeça!

    Chaves na MãoPor : Chaves na Mão5 meses atrás

    Assim como a aquisição de um carro, a compra de moto usada exige uma atenção diferenciada. Não basta entrar na concessionária e acreditar na confiabilidade da marca ao escolher um produto.

    Por isso, elaboramos uma checklist que descomplica e aponta os fatores que merecem atenção nesse momento — documentação, consertos, histórico de acidentes, entre outros. Confira todos abaixo e feche negócio sem dor de cabeça!

    Documentação 

    Essa é uma parte muito importante da compra. Estar desatento aqui pode render a você um produto sinistrado — envolvido em acidente, roubo ou leilão — na garagem.

    Informações do proprietário e do bem

    Foto: Pinterest

    No site do DETRAN do estado no qual a moto está registrada, é possível conferir informações sobre o bem gratuitamente.

    Logo, é possível saber se a moto está alienada em financiamento, se tem multas pendentes, o nome e endereço do antigo dono etc. Para tanto, basta informar a numeração do Renavam.

    Nome de “fulano” 

    Isso é uma furada. Geralmente acontece na compra com particulares, que pegaram a moto de um proprietário anterior e assumiram as prestações sem fazer a transferência para o próprio nome.

    Pode ser impossível rastrear o primeiro dono para fazer a transferência, então, lembre-se: a moto tem de estar licenciada no CPF do vendedor ou CNPJ do lojista. Caso contrário, procure outro modelo para comprar.

    Olho atento e “cara-crachá”

    Verifique o estado de conservação do decalque do chassi. Você pode encontrá-lo sob a coluna da direção da moto.

    Qualquer sinal de adulteração ou raspagem é motivação para questionar o vendedor. Também analise se a placa está com o lacre e se a data impressa nela coincide com a data de fabricação da moto.

    Observe, ainda, se a numeração presente na documentação e na moto coincidem. Em caso de divergência, é um alerta de que a moto teve peças trocadas.

    Provavelmente, por envolvimento em uma batida ou pelo fato de ser produto fruto de roubo. Alerta aceso? Questione o vendedor. Continua achando suspeito? Procure outra moto.

    Pesquisando a fundo 

    Uma maneira muito eficiente de fazer um pente fino em todas as informações é recorrer a serviços, como o prestado pela Checkauto — a partir de R$48,90. Este permite saber se o veículo teve ofertas em leilões e mostra todos os seus débitos estaduais, além de outros dados importantes.

    Vistoria estética

    Aqui, vale o uso do olhômetro. Inspecione minuciosamente a aparência da moto. Isso é importante não só para notar os sinais de desgaste, mas também a presença de possíveis adulterações.

    Acessórios

    A adição de equipamentos extras, seja por funcionalidade ou customização, costuma ser um a mais na hora de escolher a moto certa.

    Mas fique de olho na qualidade dessas instalações. Afinal, adaptações e “maracutaias” que coloquem em risco o funcionamento da moto e a segurança do motociclista são motivos para descartar um modelo.

    Banco

    Esse é um ponto um tanto subjetivo, já que em motos maiores e de estilo chopper, é bastante tradicional a troca de bancos — seja por estética, cuidado ou conforto.

    Portanto, cabe ser sensato e analisar que uma moto com muitos quilômetros de estrada percorreu longos trajetos com um motociclista em cima. Logo, o banco deve mostrar sinal de desgaste.

    Do contrário, entender o banco como uma peça substituída pode indicar que a moto esteve em um acidente um tanto grave — pequenos acidentes refletem apenas em arranhões e danos superficiais, e a troca do banco é feita em choques que distorcem a carenagem — ou pode apontar o apreço do dono em substituir uma peça por conservação.

    Desmontagem

    É bastante simples perceber indícios de que a moto foi desmontada, por dois motivos. O primeiro porque a grande maioria das motos tem a carenagem exposta.

    Dessa forma, você consegue facilmente visualizar os parafusos e porcas, que representam o segundo motivo.

    Essas pecinhas acusam facilmente uma desmontagem. Basta observar marcas nelas ou identificar se estão muito mais novas do que o restante do motor, indicando que houve a substituição.

    Pintura

    Aqui também é um ponto subjetivo, já que uma pintura nova em uma moto com muitos anos pode justificar um antigo dono cuidadoso ou o trabalho de pintura em uma moto que sofreu acidente e arrastou a carenagem na estrada. Use o bom senso e conclua:

    • se a moto é recente (até dois anos), é comum estar com uma pintura bonita e bem conservada;
    • se a moto tem alguns anos, é natural que tenha risquinhos e sinais de uso;
    • se a pintura estiver impecável, questione o vendedor. 

    Superfícies de contato com o motorista

    Elas são: as pedaleiras, manetes e manoplas. Novamente, aqui cabe o uso do bom senso e do olhômetro: motos com alguns anos de estrada naturalmente vão apresentar desgastes naturais do uso, como pequenos risquinhos, ralados e arranhões.

    Mas atenção aos seguintes sinais de tombo: 

    • manopla extremamente ralada e gasta;
    • pedaleira tortas;
    • ponta de uma manete torta e/ou limada.

    Aqui, cabe perguntar ao vendedor se notar esses sinais ou não perceber nenhum deles. Afinal de contas, também é questionável a razão de uma moto de longa data com esses componentes sem nenhum sinal de uso.

    Vistoria mecânica

    Foto: Pinterest

    Essa é a razão de levar um mecânico de confiança com você na visita à moto. Mesmo que você entenda superficialmente do assunto, é importante uma opinião profissional para fundamentar sua decisão. Sendo assim, observem, juntos, a situação dos seguintes componentes:

    • acelerador duro: evidência de desmontagem mal feita e/ou problema no cabeamento;
    • embreagem dura: temido sinal de fim de carreira para a moto;
    • freios;
    • sistema de câmbio: devem oferecer engates precisos e macios, marchas não podem escapar, indicando folga e desgaste severo do componente;
    • suspensão dianteira e traseira.

    Test-drive na compra de moto usada

    A hora da verdade. É quando você finalmente ligará a moto e poderá pilotá-la para entender o seu funcionamento. Observe se:

    • a moto depois de ligada estiver exalando fumaça azulada, indicando óleo queimado e um motor fadado ao fim;
    • alguma luz de advertência do painel indicar algum problema; 
    • cheiro de óleo queimando durante a rodagem;
    • os comandos elétricos funcionam todos e plenamente;
    • os freios apresentam funcionamento seguro e sem engasgos ou ruídos;
    • vazamento de água ou óleo durante a rodagem.

    É fato de que a compra de moto usada não é tão simples quanto a retirada de uma zero, mas uma coisa é certa: seguindo este checklist sem medo de soar um cliente chato renderá a você um excelente negócio!

    Curtiu essa lista? Então não se esqueça de assinar a nossa newsletter para ser avisado sempre que lançarmos outro conteúdo bacana como este. 

    Confira as melhores ofertas de carros e motos, novos e usados!