Qual o melhor momento para fazer uma proposta de compra de imóvel?

    Realizar uma proposta de compra de imóvel, exige cautela. Após esta leitura você estará ciente do que é a proposta, importância e os erros mais comuns.

    Chaves na MãoPor : Chaves na Mão9 meses atrás

    Uma das etapas da vida que mais exige planejamento financeiro é a compra de um imóvel. Seja a primeira ou oitava aquisição, é necessário ter os pés no chão e um bom planejamento para evitar futuras decepções.

    O momento que precede esta etapa, a proposta de compra de imóvel, exige cautela redobrada para boas tomadas de decisões.

    Levando isso em consideração, elaboramos este post com as curiosidades mais pertinentes ao tema. Após esta leitura você estará ciente do que é a proposta, sua importância, os erros mais comuns e até mesmo qual o melhor momento para fazer uma.

    Sendo assim, relaxe e aproveite para aprender como manter sua saúde financeira!

    O que é a proposta de compra de imóvel?

    A proposta é um documento que manifesta ao proprietário o interesse de um comprador. Se aceita, é um dos primeiros documentos a serem assinados e autenticados pelas duas partes, estabelecendo um manifesto de comum acordo e reconhecimento cartorário.

    Resumindo, o corpo da proposta contém dados que indicam essencialmente: quem quer comprar, como quer comprar e como quer pagar.

    Então, é indispensável constar no documento algumas informações. Saiba quais são elas adiante.

    Do interessado

    • Nome completo;
    • Números de CPF e RG;
    • Telefones de contato e e-mail.

    Da propriedade

    • Endereço;
    • Especificações e dimensão.

    Do negócio

    • Valor ofertado pelo interessado e condições de pagamento;
    • Existindo, nome do corretor e da imobiliária;
    • Data da emissão da proposta;
    • Assinatura do interessado.

    O texto deve ser redigido de forma clara e objetiva, contendo todas essas informações. Nessa estrutura, fica fácil para o proprietário entender quem quer o quê e como quer pagar por isso.

    Qual é a importância de uma proposta de compra?

    A principal finalidade dela é privar as partes envolvidas no negócio de complicações geradas por erros de interpretação.

    A proposta, quando devidamente documentada e testemunhada, marca “a fogo” que houve um acordo entre os contratantes.

    Por isso, é interessante contar com a ajuda especializada nesses momentos, ou seja, solicitar que uma imobiliária competente aja como intermediária da negociação.

    Imobiliárias dispõe de funcionários do corpo jurídico, habituados a lidar com elaboração de contratos e mediação de interesses.

    Com assistência qualificada você terá a garantia de evitar dores de cabeça e lidar com a parte burocrática.

    Havendo a aceitação do proprietário, haverá uma última reunião na qual serão reforçadas as condições propostas no documento.

    É necessária a presença física de comprador e vendedor, ou na ausência individual ou conjunta destes, pode-se substituir por alguém munido de procuração.

    O que acontece se a proposta for aceita?

    Mais uma vez, aqui se reforça a importância da imobiliária. As duas partes se encaminharão para o fechamento do contrato de venda do imóvel.

    Uma imobiliária competente lidará com todos os tramites burocráticos, com segurança e transparência.

    E se ela for recusada?

    Em caso de recusa, não há motivos para perder a cabeça. Significa apenas que não foi adequado as condições do proprietário, o que é perfeitamente justo.

    Nesse caso, pode haver renegociação, inclusive partindo do vendedor oferecendo uma contraproposta.

    A contraproposta sempre indicará a condição pela qual o negócio não foi aceito de primeira. Pode ser um ajuste na forma de pagamento, valor integral, valor de entrada, bens como entrada — comuns em negociações mais flexíveis como PF (Pessoa Física) para PF.

    Enfim, caso haja consenso de interesses, a proposta será aceita e seguirá para o fechamento do contrato.

    Qual o momento ideal para fazer uma proposta?

    Se você está neste exato momento ponderando se agora é a hora certa, saiba que possivelmente sim! Mesmo no atual cenário de instabilidade econômica do país é possível fazer um bom negócio. Entenda os motivos.

    Vantagem de querer negociar em tempos de crise

    Exatamente pela crise sujeitar a maioria dos brasileiros a retrair o seu poder de compra, isso faz com que aqueles com mais disposição financeira ganhem mais poder de barganha.

    Em proporção parecida estão os proprietários, que põe à venda um bem a preço mais baixo para liquidar o imóvel rapidamente.

    Estabilização do mercado imobiliário

    Diferentemente do ocorrido há alguns anos, o mercado está finalmente estável e mais barato. Isso aconteceu porque no início da crise, a maioria dos proprietários optou por segurar o preço considerando que seria algo rápido e passageiro.

    Com o prolongamento da situação, eles foram forçados a reduzir esse valor, motivados pela intenção de venda rápida para liquidar o dinheiro estacionado no bem.

    Como conseguir o melhor valor?

    Invariavelmente, a melhor circunstância possível é ter o dinheiro para pagamento à vista. Você consegue fechar negócios até 10% abaixo do valor anunciado pelo simples fato de dispor da quantia integral para transferência imediata.

    Não posso pagar à vista, como conseguir o melhor desconto?

    Não sendo possível, a melhor forma de conseguir um bom desconto é dispor de uma boa quantia de entrada. Afinal de contas, nada atesta plenas condições de quitação para uma construtora ou proprietário do que um depósito de entrada que quite uma boa fatia da dívida.

    Ainda é importante ressaltar — exceto nos casos de compra à vista — que o desconto recomendado na proposta é de 5%. Esse é um valor reconhecidamente seguro para ter sua proposta aceita de imediato.

    Quais são os dois principais erros nas propostas?

    Eles são poucos, mas podem prejudicar — e muito — a sua experiência de compra. São eles:

    Falta de clareza nos valores

    Nada pior em um negócio do que a nebulosidade acerca do valor pago ou a ser recebido. Por isso deixe as cifras expostas e fáceis de serem entendidas. Descreva sua intenção e condição de pagamento por A+B, ponto a ponto.

    Ainda, em caso de existirem débitos estaduais e tributários do imóvel, determine em proposta a quitação destes por parte do vendedor.

    Não atualizar a proposta após uma renegociação

    O motivo é simples, o negócio que você fechará deve estar coerente com o indicado no documento proposta. Divergências podem ocasionar disputas jurídicas e se você não tiver a documentação que atesta as condições corretas, nada poderá fazer.

    Lembra aquele ditado “tratado não é caro”? Portanto, a qualquer alteração na negociação, adeque o documento de acordo com as novas circunstâncias tratadas.

    A conclusão é que assim como no financiamento de um carro, a etapa de compra de um imóvel também exige bastante disciplina e atenção.

    As propostas são o primeiro passo em direção a esse negócio, por isso a importância de que seja com o pé direito, não é mesmo?

    E então, curtiu essas curiosidades a respeito da proposta de compra de imóvel? Então aproveita para assinar a nossa newsletter.

    Dessa forma você vai receber mais conteúdos como este direto na sua caixa de entrada!

    Encontre o imóvel ideal para comprar ou alugar com várias ofertas.