Orçamento financeiro em tempos de crise

Nós sabemos que os tempos não estão fáceis e atualmente, mais do que nunca, fazer a boa gestão do orçamento financeiro é uma das prioridades para qualquer negócio.

Chaves na MãoPor : Chaves na Mão1 ano atrás

Dicas preciosas para gerir seu orçamento financeiro em tempos de crise

Nós sabemos que os tempos não estão fáceis e atualmente, mais do que nunca, fazer a boa gestão do orçamento financeiro é uma das prioridades para qualquer negócio.

O corte de gastos é quase que inevitável para muitos negócios, principalmente para pequenas e médias empresas que não contam com grandes orçamentos.

Porém,  para não afetar os resultados, mesmo os cortes devem ser estrategicamente pensados e é sobre isso que iremos falar no artigo de hoje. Vamos à leitura?

orçamento financeiro

Foto: Freepik

Separe os gastos essenciais do que não é

A primeira medida para quem precisa cortar gastos é identificar para onde o dinheiro está indo. Sem essa medida não é possível filtrar os gastos essenciais dos desnecessários.

Parece simples, mas sabemos que pequenas e micros empresas acabam não fazendo esse controle e por isso fica mais difícil entender esses gastos.

Gastos essenciais

Podemos classificar como gastos essenciais aqueles que são fundamentais para a sobrevivência de um negócio ou empresa como, por exemplo, a energia elétrica (afinal quase tudo no mundo necessita de energia elétrica para funcionar).

Embora sejam essenciais, esses gastos podem ser controlados para proporcionar economias no orçamento, como no caso da energia elétrica, onde podem ser tomadas ações para diminuir o consumo.

Os gastos com aluguel de local físico ou escritório, Internet e água também são questões essenciais, mas dependendo da situação podem se tornar gastos flexíveis. Já pensou em trocar o escritório por um coworking, por exemplo?

Gastos flexíveis

Os gastos flexíveis são aqueles que podem ou não fazer diferença no seu negócio e o seu corte deve ser seriamente ponderado. Entre eles estão alguns serviços que a empresa pode estar usufruindo, mas não é essencial para a sua sobrevivência no mercado.

Os benefícios fornecidos aos colaboradores são alguns desses custos que podem ser flexibilizados, pois nem todos profissionais têm as mesmas necessidades ou precisam de tais benefícios.

É importante lembrar que a ideia não é deixar de oferecer benefícios aos colaboradores, mas sim buscar formas de economizar sem perder a qualidade dos serviços prestados.

Alguns exemplos para economia de custos é alterar um plano de saúde por outro mais econômico, um fornecedor de alimentação por outro mais viável e assim por diante.

Analise o que realmente traz retorno

Você já se deu esse trabalho? Realmente parou para analisar o que realmente está trazendo retorno para o seu negócio? Se a ideia é otimizar o seu orçamento, recomendamos seriamente que faça isso!

Para começar, vale a pena criar uma planilha com os principais serviços ou veículos de mídia utilizados e analisar o seu ROI dos últimos 6 meses.

Essa panorâmica pode ser uma tarefa simples para ajudar a minimizar o orçamento financeiro e focar esforços no que realmente está sendo promissor para o seu tipo de negócio.

Só essa ação pode trazer mais retorno e consequentemente trazer mais receita para a sua empresa, pois se você já sabe exatamente de onde vem os seus clientes, não há motivo para despender recursos onde não há retorno algum.

Se você percebe que um portal de anúncios gera 50% das suas receitas e outros 3 portais juntos geram essa mesma quantidade com o mesmo investimento, vale mais a pena então investir unicamente no 1ºportal.

Qual o momento certo de cortar os gastos?

Após o tópico anterior sobre análise e ROI fica bem mais fácil tomar decisões sobre o corte de gastos, pois com os dados em mãos é menos provável tomar decisões equivocadas.

É difícil definir o momento certo de cortar gastos, tendo em vista que cada negócio possui as suas particularidades e podem apresentar fluxos de despesas e receitas variáveis.

No entanto, e como unanimidade, esse momento pode ser quando você percebe que as contas estão saindo do controle ou que o fluxo de caixa está beirando o negativo.

Portanto, se você percebeu que esse momento pode estar se aproximando ou já está próximo de acontecer, vale a pena fazer um “pente fino” e seguir as dicas que abordamos anteriormente.

Entenda o que são gastos e o que são investimentos e faça as melhores escolhas

graficos-reuniao

Foto: Freepik

Pegando “gancho” com os tópicos anteriores, um dos erros e dúvidas que mais ocorre é justamente não saber diferenciar o que é gasto e o que é investimento.

Já vimos que os gastos são despesas fundamentais para a sobrevivência de um negócio, independente se trazem retorno ou não.

Podemos dizer que os investimentos são gastos onde há a provisão ou a expectativa de retorno e ganhos futuros, portanto devem ser bem planejados e aplicados, pois podem se transformar também em meros gastos.

Dessa forma, fica fácil entender porque é preciso entender sobre ROI e analisar profundamente o que mais traz retorno à sua empresa e assim não minar o seu orçamento com ações que não geram ganhos.

Copie os hábitos de pessoas financeiramente bem sucedidas

A nossa última dica é um tanto mais comportamental do que matemática, afinal saber como as pessoas conquistaram o sucesso ou independência financeira pode ser uma grande lição para solucionar o nosso problema de orçamento. Vamos ver algumas dessas atitudes?

Emoções e finanças caminham juntas

Em momentos difíceis e complicados costumamos investir em atitudes impensadas e até mesmo desesperadoras. Dessa forma, assim como as pessoas bem sucedidas, seja mais cauteloso e mais comedido com suas ações e atividades financeiras.

Faça o dinheiro trabalhar para você e não o contrário

As pessoas bem sucedidas geralmente são assim por terem o hábito constante de poupar e investir, fazendo com que o dinheiro trabalhe por elas.

Veja as oportunidades e não os obstáculos

Pessoas ricas tendem a enxergar oportunidades em quase todas as situações. Portanto, se tudo para você é obstáculo e dificuldades, o problema não é o dinheiro, mas sim você.

Conclusão

Saber lidar com o orçamento em tempos de crise é um desafio em dobro e exige muita habilidade não só com números, mas também com outros fatores como planejamento e equilíbrio emocional.

Por fim, entender sobre gastos e investimentos é essencial para tomar decisões certas e minimizar o impacto sobre a comunidade profissional da sua organização, bem como entender os hábitos das pessoas bem sucedidas, o que pode ser um grande aprendizado.

Relacionadas

Encontre o imóvel ideal para comprar ou alugar com várias ofertas.