Saiba porque a poltrona é considerada o coringa na decoração e como escolher um modelo ideal para a sua casa

    Existem diversas opções de poltrona coringa à venda no mercado. Você saberia escolher uma entre elas para a sua casa? Confira nossas dicas!

    Chaves na MãoPor : Chaves na Mão2 anos atrás

    Existem diversas opções de móveis à venda no mercado. Para os arquitetos e designers, definir quais as combinações mais acertadas entre essas peças é algo primordial para obter composições mais bonitas e equilibradas.

    Um único item pode se destacar e ser o ponto alto do projeto, sobretudo em propostas de áreas de descanso. Um exemplo é a poltrona, considerada como coringa na decoração de interiores.

    “A poltrona é elemento da decoração, tem luz própria e pode ser o destaque da sua sala ou do seu quarto.” – designer de interiores Silvana Borzi, em reportagem de Tua Casa.

    Desmobilia

    A evolução das poltronas

    Há muito tempo, as poltronas já fazem parte da história das culturas mundiais. Parece que elas são apenas um item decorativo e funcional das casas, mas é além do que isso. Para as civilizações antigas, era um símbolo de status social.

    Quanto mais detalhes entalhados, tecidos caros e pedras preciosas elas continham, mais o seu proprietário parecia ser, aos olhos das outras pessoas, nobre, rico e poderoso.

    Em regiões da Europa, África e Ásia, por exemplo, somente os reis ou os faraós podiam sentar-se ou recostar-se em tais peças.

    Elas eram o foco principal em uma sala de coroações. Porém, séculos depois – com aparência e materiais mais simples, é claro -, começaram a fazer parte do conjunto de cozinhas, refeitórios e salas de estar dos criados. Desse modo, perderam o seu valor – mas, não a sua importância.

    As poltronas, portanto, acompanharam a evolução da humanidade. Ao decorrer das épocas, este móvel variou de estilo, forma e até de utilidade.

    Hoje, ainda é um artigo indispensável em ambientes residenciais e comerciais e muitos profissionais as têm apresentado como elementos de ensaio artístico, fazendo sucesso em feiras e mostras internacionais.

    Tria Arquitetura

    As poltronas são, mesmo, mais do que móveis. Elas são obras de arte! E algumas das mais emblemáticas para o design são: a poltrona Egg, projetada por Arne Jacobsen; a LC2, por Le Corbusier; a Tulipa, por Pierre Paulin; a Eames, por Charles Eames; e a Circle, por Hans Wegner.

    Paula Danielly Said

    As poltronas na decoração

    Sempre vale a pena reservar um espaço da casa para uma poltrona. Esse tipo de peça se encaixa bem com várias propostas de decoração e transmite sempre uma ótima sensação de aconchego. Mas, como escolher uma dentre tantas opções? Será que existe um modelo perfeito para cada tipo de projeto?

    Rodrigo Maia

    Alguns acreditam que sim, que existe um modelo para cada projeto e que ele deve ser escolhido, em primeiro lugar, de acordo com a personalidade da pessoa. Mas, mesmo seguindo esse critério, jamais se devem deixar de lado questões como beleza, elegância e conforto. Este último item está inserido dentro da qualidade e funcionalidade – que são duas das principais características de uma boa poltrona.

    Design e conforto são primordiais

    Entendendo os gostos do cliente, é hora do projetista avaliar também as necessidades. Será que essa pessoa vai utilizar a poltrona para assistir televisão? Ler um livro? Ou tirar um cochilo?

    Sendo assim, será que a peça precisa ser mais ou menos macia? Com base na ideia de que o móvel será o elemento de destaque na decoração, auxiliando a composição do espaço, este deve receber atenção especial.

    As poltronas no planejamento de interiores

    Existem muitos jeitos de combinar uma poltrona com a decoração de um jardim, varanda, escritório, sala ou dormitório, por exemplo. De combinar a poltrona com todos os outros estofados e almofadas presentes neste ambiente. E a regra, muitas vezes, é aplicada de modo muito simples, igual tanto em projetos de estilos modernos quanto de estilos mais conservadores.

    Claro que, por sua grande importância para o design, a poltrona tende a ser uma protagonista das propostas – a própria “cereja do bolo”, ou melhor, do cômodo.  Mas, deve-se ter cuidado para a poltrona também não ficar chamativa demais, anulando o efeito visual positivos de outras peças mobiliárias e decorativas escolhidas.

    Rodrogo Maia

    “Ouse para ter resultado. Quebre a monotonia apostando em peças bem diferentes, não precisa combinar com as cores dos móveis ou com a estampa do sofá.” – Silvana Borzi.

    ArqDesign Pamela Ortiz

    Há vários tipos de poltronas coringas. Algumas são pequenas, estreitas e baixas. Outras são longas, largas e altas.

    A namoradeira era a mais famosa, no passado. Hoje, existem as chaise longue. Há as reclináveis, as com apoio para os pés e as com suporte giratório. Também as lisas, as estampadas, as com e as sem acabamento. E as em estilo mais clássico ou mais ousado. A diversidade é enorme!

    Sandra Picciotto

    Sobre as cores, esse fator pode ajudar a destacar ainda mais a poltrona no lugar onde ela estiver. Num ambiente de matizes mais claros, por exemplo, uma cor mais vibrante, como o vermelho, é o mais indicado, criando uma atmosfera bem mais interessante. Já o amarelo também fica muito bem com tons claros, como o cinza – uma combinação que, aliás, está em alta.

    WT Studio

    Concluindo, para mais vivacidade no ambiente, colorações mais intensas!

    Fiego Revollo

    Agora, se o estilo da pessoa – e, consequentemente, da decoração – for neutro, o melhor é escolher cores mais sóbrias para a poltrona. O marrom é um exemplo – indicado para escritórios, sala de reuniões e salas de estar residenciais. Essa é uma opção bastante inteligente e que passa a ideia de sobriedade, requinte e sofisticação.

    Biblioteca com poltrona marrom

    Estas dicas de como usar a poltrona com um coringa na decoração foram criadas pela equipe Viva Decora.