Avaliação do Ford Fiesta

    Avaliação do Ford Fiesta, antes de comprar veja a opinião dos donos, vídeos, consumo de combustível, manutenção, preço de revenda e muito mais!

    Chaves na MãoPor : Chaves na Mão9 meses atrás

    O compacto da Ford lançado no Brasil da década de 1990 já era produzido na Europa desde 1978, se destacava do concorrente 147 (Fiat) por seu maior comprimento.

    É o terceiro modelo da Ford com maior número de unidades vendidas, ultrapassando a marca de 16 milhões de veículos, atrás apenas do Escort e das picapes da série F.

    No Brasil, o Fiesta foi apresentado pela primeira vez na sua terceira versão, o MK3. Essa edição do modelo foi a de produção mais duradoura da fabricante americana, e desde 1995 circula nas ruas brasileiras com bastante sucesso de vendas.

    Competindo diretamente contra Coras (Chevrolet), Uno (Fiat), e Gol (Volkswagen), o Fiesta chegou por aqui importado da Espanha, em carrocerias com 2 ou 4 portas e motor Endura-E 1.3l, injeção eletrônica monoponto e acabamento no mesmo nível dos outros modelos do segmento.

    Logo no ano seguinte a Ford iniciou a produção da geração MK4 do Fiesta no país substituindo o Escort na linha de compactos da marca.

    A quarta geração do modelo contava com motores Endura 1.3l EFI ou Zetec-SE 1.4 16V EFI. O acabamento interno – superior ao dos concorrentes – era uma compensação justa pelo exterior sem grandes atrativos.

    Em 1998 o Fiesta recebe a opção para airbags em todas as suas versões, que já vinham com direção hidráulica de série. 1999 viu o fim da linha popular do Fiesta, substituída pela versão Class com motor 1.0l, além de um redesign da frente do veículo, que se torna mais arrojado.

    Neste ano o Fiesta também recebeu nova motorização Zetec RoCam com 1.0l ou 1.6l.

    A quinta geração do Fiesta foi lançada em 2002 e, até hoje, foi a de maior sucesso de vendas da linha.

    O design seguindo o conceito New-Edge da Ford agradou ao público brasileiro em 2003, quando a nova encarnação chegou às concessionárias do país.

    A MK5 sofreu uma pequena alteração visual em 2007, que deixou a frente ainda mais robusta e trocou as lentes da lanterna traseira, além de melhorar consideravelmente o acabamento interno do carro.

    Por aqui, esta versão foi vendida pela Ford como Fiesta RoCam.

    Em 2007 a fabricante americana apresentou o conceito Verve na Alemanha e no ano seguinte este entrou em produção como a sexta geração do modelo, chamada New Fiesta, que passou a ser importado para o Brasil na versão sedã – vinda do México – enquanto a configuração hatch começa a ser produzida em São Bernardo do Campo, interior de São Paulo.

    Em 2013 o New Fiesta hatch passa por mais uma reestilização na Fábrica paulista e a versão sedan continua vindo do México para as ruas brasileiras.

    New Fiesta Ecoboost

    A família EcoBoost conta com cinco motores, dentre eles está o 1.0, o segundo que chegou há pouco tempo no mercado brasileiro.

    O primeiro EcoBoost brasileiro é o 2.0, presente no Ford Fusion.

    O EcoBoost 1.0 é um motor muito famoso e bem reconhecido na Europa.

    Por conta da grande crise financeira que ronda o nosso país, este motor chegou em terras brasileiras apenas para a versão topo de linha do Fiesta, a Titanium Plus.

    Porém, a Ford não esqueceu dos motoristas mais conservadores e manteve a versão 1.6 de 16 válvulas, aspirado e de 4 cilindros.

    Já o motor 1.5 aspirado, que equipava a versão de entrada do Fiesta, saiu de linha juntamente com a versão S, de entrada do modelo.

    O modelo é mais conservador devido a sua troca de marchas. Muitas vezes não é possível reduzir quando está acima de 4.000 giros, o que acaba prejudicando uma condução mais esportiva do modelo.

    Por conta da quantidade de giros e velocidade da troca de marchas, é possível perceber que a Ford escolheu ter um carro mais esperto do que econômico.

    Tecnologia é a palavra chave para descrever o motor EcoBoost.

    Equipado com injeção direta, é capaz de eliminar o desperdício. Além disso, possui duplo comando variável de válvulas.

    O coração do motor é o turbo compressor quase sem nenhum turbo lag.

    Um dos pontos positivos do motor é a manutenção, que pode ser dispensada por conta da correia banhada a óleo, durando toda a vida útil do veículo.

    Quanto ao desempenho do motor EcoBoost 1.0, é possível comparar ao 1.6 tradicional, sendo igual ou superior.

    As duas únicas mudanças no visual para o restante das versões é o sensor de presença localizado na maçaneta da porta, que possibilita destravar o carro apenas com a chave no bolso, a etiqueta EcoBoost presente na traseira do Fiesta.

    O New Fiesta Hatch mede 4 m de comprimento com distância entre os eixos de 2,5 m, 2 m de largura incluindo espelhos retrovisores externos e 1,5 m de altura.

    Já a configuração sedã mede 4,4 m de comprimento e tem as outras medidas iguais à versão mais curta.

    São duas opções de motor, sendo o mais básico o 1.5l Sigma, que entrega até 112 cv com etanol ou 107 cv com gasolina, e o mais potente Sigma 1.6l TiVCT, gerando 128 cv no etanol ou 125 cv na gasolina.

    A transmissão pode ser manual com 5 velocidades ou automática de 6 marchas sequenciais.

    Todas as versões – hatch ou sedã – contam com direção elétrica, freios ABS e airbag duplo frontal.

    Versões doFord Fiesta

    Assim como outras linhas da Ford, o New Fiesta (Hatch e Sedã) é dividido em linhas que vão do mais básico ao mais completo.

    Em ordem, para a configuração curta as versões são batizadas como S, SE, Sport e Titanium, enquanto para a carroceria sedã estão disponíveis apenas as linhas SE e Titanium, porém com a possibilidade de complementar o veículo com o pacote Plus, que aumenta a segurança com a inclusão de 5 outros airbags (lateral, cortina e para os joelhos do motorista) na linha SE e adiciona teto solar elétrico ao Titanium.

    A linha básica S do New Fiesta Hatch vem equipada com ar condicionado, alarme antifurto, ajuste de altura e profundidade do volante, faróis com temporizador, ajuste elétrico dos retrovisores externos, travamento elétrico e automático das portas, computador de bordo, sistema My Connection com rádio AM/FM, bluetooth e entradas auxiliar e USB.

    Já a sequência SE é a primeira a poder receber o motor 1.6l TiVCT e a transmissão automática e conta com faróis com máscara negra em todos os veículos, além de ar condicionado digital e automático, controle de estabilidade e tração AdvanceTrac, assistente de partida em rampas HLA, chave programável My Key, sensor de estacionamento traseiro, SYNC Media System com rádio AM/FM, CD player, bluetooth e entradas USB e auxiliar, com suporte a comandos de voz para áudio e telefonia, tela multifunção de 3,5”, AppLink e volante com controles de áudio nas versões de motorização mais potente.

    O New Fiesta Sedan pode receber o pacote Plus de segurança, com 7 airbags no total.

    A linha Sport do New Fiesta Hatch vem equipada com câmbio manual de 5 marchas e motor 1.6 TiVCT, faróis escurecidos, AdvanceTrac, farol de neblina dianteiro, brake-light, retrovisores externos com indicador de direção, SYNC Media System, e possibilidade de ler e enviar mensagens SMS pela central multimídia quando há celular conectado e o Kit Sport, com aerofólio traseiro, saias laterais, dianteiras e traseiras e rodas de liga leve aro 16”.

    No topo da linha está a versão Titanium, tanto no hatch quanto no sedã, que além dos itens das outras versões, oferece sistema de partida sem chave, bancos revestidos em couro, 7 airbags frontais, laterais, cortina, e para o joelho do motorista, sensor de chuva para ativação automática dos limpadores de para-brisa, acendimento automático dos faróis, piloto automático, e rodas de liga leve aro 16”.

    Com  pacote Plus, a versão sedã também inclui luz ambiente personalizável, sistema MyFord Touch adicional ao SYNC Media System com navegação e tela de 6,5” sensível a toques e câmera de ré.

    Ford Fiesta Titanium Plus EcoBoost 2017

    Todos os itens do Titanium Plus 1.6 e mais o motor 1.0 turbo a gasolina, de 125 cv e 17,3 kgfm, entregues entre 1.400 e 4.000 rpm.

    O motor 1.5l da Ford percorre até 7,6 km/l urbanos e 9,4 km/l rodoviários com etanol no tanque ou 10,7 km/l na cidade e 13,4 km/l em rodovias com gasolina.

    Já o motor 1.6l TiVCT chega até 7,5 km/l em ruas e 9,5 km/l em estradas com etanol ou 10,6 km/l em ambiente urbano e 13,8 km/l fora da cidade quando abastecido com gasolina.

    A longa historia da Ford no mercado nacional garante ao New Fiesta uma rede de amparo excelente, com facilidade para encontrar serviço autorizado ou oficial e peças de reposição.

    A construção do carro também favorece o acesso às partes que eventualmente precisam de manutenção, diminuindo o custo de serviços.

    Ainda assim, manter um desses carros com o equipamento em ordem não é tão barato quanto se espera, em parte devido às peças importadas, em parte por causa da tecnologia envolvida no reparo do veículo.

    Ao menos em termos de manutenção, portanto, o New Fiesta perde para alguns de seus concorrentes no segmento de compactos premium, como o HB20 (Hyundai).

    Perdendo até 13,4% do valor do novo após passar um ano rodando pelas vias brasileiras, o New Fiesta não consegue segurar seu valor tão bem quanto outros compactos da mesma categoria.

    Continue com a gente e encontre em todo o Brasil as melhores oportunidades do carro Ford Fiesta.