Tecnologias que substituem o pneu estepe

    Atualmente, existem várias tecnologias que substituem o pneu estepe tradicional dos carros de passeio. Confira a nossa lista.

    Chaves na MãoPor : Chaves na Mão4 anos atrás

    Aqui uma ótima notícia para quem odeia trocar pneu furado (e quem gosta, né): o pneu estepe já está com seus dias contados.

    Montadoras de todo o mundo sonham em não utilizarem mais a roda extra nos automóveis de passeio, por diversos motivos:

    – Ganhar espaço no porta-malas;

    – Redução de custo na produção do veículos;

    – Redução no peso e consequentemente no consumo de combustível do carro;

    Com o fim dos pneus estepes, será uma grande vantagem ao consumidor no quesito segurança.

    De acordo com a Carglass®, especialista em reparo e troca de vidros automotivos, entre setembro e outubro de 2015, apontou que o pneu estepe continua o item mais furtado dos carros no Brasil, com 24% das incidências.

    Esse é o segundo ano seguido do levantamento, que aponta o estepe como o item mais procurado pelos bandidos.

    Em 2014, o pneu estepe representou 40% dos roubos de carros no Brasil.

    Atualmente, existem várias tecnologias que substituem o pneu estepe reserva tradicional dos carros de passeio.

    Confira a lista:

    Foto: Shutterstock

    Estepe temporário

    Até há pouco tempo, ele era um tabu para o consumidor, visto com olhares de desconfiança.

    A primeira impressão que se tem é de um pneu de motocicleta, coisa de carro importado.

    Porém, o Honda Civic, Chevrolet Cobalt e o Ford New Fiesta já aplicaram esta nova modalidade de estepe: em vez de um quinto pneu com a mesma medida dos demais, o pneu estepe temporário chega a ser 60% mais leve que os demais.

    O conselheiro da Sociedade de Engenheiros da Mobilidade (SAE Brasil), Francisco Satkunas, diz que qualquer “emagrecimento” é bem-vindo.

    Entre as vantagens, estão:

    – Menos “peso morto”, o que melhora no consumo;

    – Espaço maior no porta-malas;

    – Diminuição de risco de roubo do estepe do carro (qual ladrão vai querer roubar um estepe temporário que só servem para carros específicos?).

    Porém, de acordo com os testes da revisa Auto Esporte, o estepe fino apresenta algumas limitações.

    Ao contrário do estepe tradicional, o pneu temporário deve ser utilizado no máximo a 80 km/h, isso porque ele é muito mais fino que os pneus de uso normal.

    No caso do Honda Civic, enquanto os quatro pneus tem a medida de 205/55 R16 (20,5 cm de largura na banda de rodagem), o de emergência não passa de 10 cm.

    Isso significa que, com ele rodando, a estabilidade fica comprometida, porque de um lado há muito mais área de borracha em contato com o solo do que do outro.

    Lembre-se, o pneu temporário deve ser utilizado no máximo a 80 km/h

    Outro quesito que pega é que um conjunto de pneus, como o do Honda Civic, é grande, pesado e caro.

    O estepe foi o responsável por sacrificar boa parte da capacidade do Civic produzido entre 2006 – 2011.

    Segundo a Honda, o pneu estepe temporário tem aproximadamente 10 kg.

    Seladores de pneus

    O Kit reparo é constituído de selante líquido e um compressor para injetar o selante dentro do pneu.

    Eles são mais versáteis (pode carregá-lo facilmente em uma mochila), podem ser usados em pneus com e sem câmara.

    Sua principal vantagem é que você não precisará parar o carro para trocar de pneu.

    Atenção que existem seladores específicos para carros e motocicletas.

    Run-flat

    O Run-flat é o mais conhecido e mais utilizado pelas montadoras que não optam pelo estepe tradicional.

    Ele é capaz de rodar com o pneu vazio por uma distância e velocidade máxima pré-determinada (a recomendação da maioria é andar 80km/h por no máximo 200 km com o pneu furado).

    Como ele funciona: esse pneu tem um reforço de borracha rígida nas laterais, fazendo com que ele fique apoiado sobre elas em caso de perda total de pressão.

    Sua principal vantagem é dispensar totalmente o estepe. Eles funcionam com perfurações ou cortes maiores que 5 mm, situações que o selante não funciona (o selante de pneu vai até 6 mm).

    Porém, nem tudo são flores: conforto menor (é um pneu bem mais rígido) e o preço maior, que pode chegar a custar mais do que o dobro comparado a versão convencional.

    Hoje, nove em cada dez carros vendidos na Grã Bretanha já não utilizam mais o estepe convencional.

    Segundo Rafael Astolfi, especialista da Continental Pneus, a tendência é irreversível. “Caminhamos a passos largos em direção a veículos de propulsão híbrida, onde os motores e baterias ocupam muito espaço, e também para os veículos autônomos. Pneus sobressalentes convencionais definitivamente não se encaixam nesse perfil”, afirma o especialista.

    Confira em nosso site as melhores ofertas de carros usados à venda.