Renault Duster Dynamique 1.6 16V mantém a receita

    Espaço interno, porta-malas e rodar suave são os atrativos do utilitário do Renault Duster 2016. Por dentro, novos materiais e mais conectividade. Confira!

    Chaves na MãoPor : Chaves na Mão5 anos atrás

    Duster Dynamique 1.6

    As alterações perceptíveis no Duster 2016 são a grade frontal, para-choques, novo formato dos faróis e as lanternas com LED.

    Por dentro, novos materiais de acabamento e sistema Mídia NAV com mais conectividade.

    Na traseira, para-choque, lanternas redesenhadas e o novo puxador da tampa do porta-malas.

    Foto: Renault/divulgação
    Foto: Renault/divulgação

    O prático e enorme porta-malas perdeu a tampa flexível para uma rígida e dobrável.

    Isso facilita a colocação de objetos em cima, mas, se mal fixados podem atingir os ocupantes em freadas bruscas ou colisão.

    Para aumentar a capacidade do porta-malas, o estepe fica sob o assoalho, no lado de fora, o que dificulta a troca.

    Os bancos têm novo desenho e melhor anatomia, com espuma mais espessa.

    No painel central, o acabamento em preto brilhante diferencia o atual do anterior.

    O trunfo é o espaço para três adultos avantajados no banco traseiro.

    Esse é o pulo do gato da família Logan, que inclui também o Sandero.

    Foto: Renault/divulgação

    Apesar de a tração ser apenas dianteira, o Duster 1.6 mantém os ótimos ângulos de ataque e de saída e a altura do solo.

    Isso permite trafegar em caminhos precários sem se preocupar em tocar a parte inferior e transpor obstáculos tranquilamente.

    A suspensão é menos sofisticada em relação à multilink da versão 4×4, mas mantém o conforto em piso irregular.

    O Duster é um dos poucos carros que transfere menos as imperfeições do piso para dentro, além do rodar suave em terreno ruim.

    A suspensão é um dos destaques do Duster, mas na unidade testada ouviam-se grilos vindos da suspensão.

    O motor 1.6 é a conta. Nem mais nem menos. Melhorou em relação à geração anterior, com 0,4kgfm de torque a mais com etanol, passando de 15,5kgfm para 15,9kgfm.

    O carro vai bem nas acelerações, mas exige atenção nas retomadas (ultrapassagens), pois leva-se mais tempo em relação ao motor 2.0.

    É aconselhável desligar o ar-condicionado e colocar o motor na faixa de rotação ideal de torque (3.750rpm) para evitar susto.

    O motor 1.6 não tem a força nem a agilidade do 2.0. Os engates do câmbio são precisos, mas secos.

    A direção deveria ser mais leve nas manobras. Tem peso em alta, mas falta sensibilidade.

    Parece anestesiada. Característica de toda a família. O consumo não é baixo devido ao peso do carro.

    Para torná-lo mais eficiente, há a função EcoMode, acionada por meio de comando no painel, que limita a potência e o torque do motor, e reduz a potência do ar-condicionado.

    Isso, segundo a Renault, permite redução de 10% no consumo. A visibilidade é boa em todos os sentidos.

    A garantia é de três anos ou 100 mil quilômetros rodados.

    A nova central multimídia da Renault, chamada Media Nav Evolution, ganhou importantes funções, ficando mais completa.

    O navegador agora traz informações do trânsito (por enquanto para oito cidades brasileiras), informando as vias que estão congestionadas e até se existe algum radar à frente.

    A câmera de ré́ é outra novidade.

    Foto: Renault/divulgação

    A nova central também passou a “conversar” melhor com o telefone celular, e, por meio de um aplicativo chamado Aha, é possível escutar diversas rádios digitais, conexão com redes sociais, informações climáticas e pontos de interesse (como restaurantes e hotéis nas proximidades).

    Porém esse conteúdo depende do sinal de internet e obviamente vai consumir parte do seu pacote de dados.

    Essas funções são operadas a partir do telefone e não da tela do veículo, demandando atenção do motorista para manuseá-las, mas as respostas são dadas em formato de áudio.

    Por exemplo, para saber as condições climáticas é preciso localizar o respectivo ícone no aplicativo e selecioná-lo e a previsão do tempo é reproduzida pelo áudio do veiculo.

    No mais, a nova central manteve as funções anteriores, como telefonia, rádio e mídias (USB, entrada auxiliar).

    Um aspecto que deve ser aperfeiçoado é o reconhecimento automático do smartphone que se conectou à central, já́ que, quando há mais de um registrado, ele exige a seleção do que deve ser pareado.

    Confira em nosso site as melhores ofertas do Renault Duster usado à venda.