Mais respeito aos motociclistas

    A motocicleta e o motociclista estão sempre sendo alvos de todo tipo de ataque preconceituoso. Mas, diante de seu real valor, merecem mais respeito.

    Chaves na MãoPor : Chaves na Mão4 anos atrás

    Respeito aos motociclistas

    Em tempos em que o veículo de duas rodas e seu piloto entraram na lista negra de grandes meios de comunicação e interesses políticos, é preciso conceituar (e bem) quem é o verdadeiro motociclista e enfatizar o serviço que a motocicleta presta para a sociedade.

    Digo preciso porque é impossível ficar indiferente ao turbilhão de críticas, muitas vezes injustificadas e preconceituosas, diga-se de passagem, direcionadas a esse meio de transporte e a quem está sobre ele.

    Foto: Shutterstock

    Não podemos nos calar porque “uma mentira dita cem vezes torna-se verdade”. A perigosa frase atribuída a Joseph Goebbels, mentor da propaganda nazista, infelizmente, parece reverberar na sociedade brasileira. Os cidadãos de bem acabam reproduzindo um discurso pronto e (suponho) mal-informado, para não dizer mal-intencionado.

    Não se pode generalizar e tratar todo sujeito que anda de moto como um “cidadão problemático”, como gostam de dizer os militantes da causa.

    Não é saudável coloca-lo contra a parede em troca de uma suposta “paz”.

    Até porque estamos falando de um universo de aproximadamente 18 milhões de motos no Brasil, segundo dados da Abraciclo, associação que representa as fabricantes, e que tem tudo para continuar crescendo de forma exponencial nos próximos anos.

    Vamos em busca de uma definição menos genérica e mais pessoal do motociclista e saber em quais momentos a motocicleta é bem aplicada.

    Quem sabe assim, mais conscientes do perfil daqueles que andam em motos, as pessoas os vejam com mais respeito.

    Só dessa maneira teremos um trânsito mais harmonioso.

    Motos em atendimentos essenciais

    Policiais, bombeiros e médicos são alguns dos profissionais que se utilizam das características das motos para atender com urgência a quem necessita de ajuda.

    No caso do Serviço Móvel de Atendimento às Urgências (SAMU), as chamadas Motolâncias antecedem as UTI móveis para adiantar o atendimento às vítimas.

    São úteis principalmente no caso de doenças cardiovasculares, como infartos, anginas, ataques cardíacos e derrames cerebrais.

    Nesses casos, quanto menor o tempo do socorro, menores poderão ser as sequelas.

    No caso da polícia, por exemplo, o Batalhão de Operações Especiais do Rio de Janeiro, BOPE, adotou a motocicleta em suas atividades para acessar áreas em que o carro não é capaz de entrar.

    Foto: Consamu/divulgação

    Respeito à vida

    Não podemos nos esquecer nunca de que motocicleta envolve a mais pura paixão. Um estilo de vida: é assim que muitas pessoas encaram esse veículo.

    E, por trás do prazer gerado pela pilotagem, está o zelo pela vida. Em outras palavras, o espírito do verdadeiro motociclista coloca como principal meta garantir a sua segurança e a das demais pessoas que o cercam.

    Para isso, mantém seu veículo em perfeito estado de conservação, usa o maior número de elementos de segurança – capacete, jaqueta apropriada, luvas, calças e botas – e respeita as leis de trânsito vigentes no país.

    Formas de inclusão

    Muitas pessoas encontram na motocicleta uma forma viável para garantir sua independência de ir e vir e deixar de depender exclusivamente do transporte público.

    Assim, conseguem colocar em prática a difícil arte de aliar trabalho e estudo, podem estar mais próximos dos familiares, podem oferecer carona para marido/esposa etc.

    Destaque também para a entrada das mulheres nesse segmento. De acordo com a Abraciclo, entidade que representa os fabricantes do setor, elas representam cerca de 25% das vendas de motos no Brasil.

    Foto: Shutterstock

    Trabalho e serviços

    Dotadas de uma motocicleta, muitas pessoas conseguem, às vezes, uma renda extra ou mesmo um trabalho efetivo que lhes garanta um salario digno e até o sustento da família.

    Há inúmeras formas de ir à labuta sobre duas rodas. Que o digam os motofretistas e os mototaxistas. Se de um lado esses profissionais ganham a vida, de outro resolvem a vida dos cidadãos.

    Entregas rápidas de documentos, pizza, gás, água, compras, tudo na porta de casa, sem falar no deslocamento de pessoas de um ponto a outro a um preço bastante acessível.

    Foto: Shutterstock

    Confira em nosso site as melhores ofertas de motos usadas à venda.