Cuidados que donos de carros antigos devem ter

    Confira os 10 cuidados essenciais que os donos de carros antigos devem ter para aumentar a vida útil do veículo e deixá-lo com aquela...

    Chaves na MãoPor : Chaves na Mão5 anos atrás

    Carros antigos: 10 cuidados essenciais que os donos de carros antigos devem ter

    Todo amante de veículos sabe que os cuidados com o carro são essenciais para aumentar a sua vida útil.

    É possível deixá-lo com aquela carinha de que acabou de sair da concessionária por mais tempo: basta adotar as medidas adequadas!

    Foto: Shutterstock

    Porém, quando se trata de carros antigos, os cuidados devem ser redobrados – e diferenciados.

    Não é só o desgaste sofrido ao longo do tempo que influencia na atenção que deve ser dada a eles: o fato de que os veículos mudaram muito ao longo do tempo também faz com que a rotina de manutenção seja diferenciada.

    Como disse o colecionador Og Pozzolli, a diferença entre os carros velhos e os antigos está no cuidado que o seu dono deve ter para com ele!

    Foi pensando em você, colecionador fanático pelas jóias da indústria automobilística, que a equipe do Portal Chaves na Mão preparou este guia.

    Aqui, você encontra 10 medidas fundamentais para deixar o seu carro vintage em um estado de fazer inveja a qualquer zero quilômetro!

    1.Trocar dicas com outros colecionadores

    Carros antigos são uma paixão compartilhada por muitos. Não será difícil encontrar clubes de colecionadores na sua cidade ou região.

    Junte-se a eles – e não só pela amizade. Eles podem te indicar estabelecimentos e práticas para preservar melhor o seu veículo.

    Afinal, quanto mais antigo e raro for o seu carro, mais difícil será para encontrar peças para ele.

    Portanto, a primeira lição que todo proprietário de um clássico deve ter em mente é que todo cuidado é pouco na hora de encomendar peças pela internet: existem muitos sites se aproveitando dos apaixonados por carros antigos para aplicar golpes virtuais.

    Contudo, não basta encontrar a peça necessária: o proprietário também precisa ter cuidado com a oficina escolhida para fazer a instalação da peça.

    Lidar com antiguidades é muito delicado e diferente do que com carros atuais, e nem todos os serviços de mecânica estão preparados para tal.

    Encontrar a peça e a mão de obra ideal para instalá-la é complexo.

    Assim, o melhor jeito de colocar seu veículo em boas mãos é buscando sugestões de quem entende do assunto: os outros colecionadores!

    2. Esquentar o motor antes de dirigir

    Você acha que essa história de esquentar o motor antes de dirigir é do tempo dos seus avós?

    Pois saiba que especialistas recomendam fazer isso até mesmo com veículos novos!

    A razão está na mecânica do carro: o motor foi projetado para funcionar em uma temperatura específica.

    Portanto, seguir à risca esta instrução diminui o risco de danos e melhora o desempenho do carro.

    Outra prática que evita problemas no motor é revisar o carburador a cada 90 dias.

    Por mais raro que ele seja em nossos tempos de injeção elétrica, ele é vital para o funcionamento de carros mais antigos.

    3. Prestar atenção aos freios

    Veículos antigos não têm os mesmos sistemas de freio que os de hoje. Os carros das décadas de 70 e 80 possuem sistema de freios por tambor, o que é bem diferente dos carros atuais, a disco.

    Com o tempo, a lona de freio desses carros vai ficando gasta, e a troca é inevitável.

    Entre os cuidados com o carro para evitar o desgaste dos freios, também está uma direção mais suave.

    As brecadas bruscas são péssimas para a estrutura do veículo como um todo!

    4. Ter cuidado redobrado com a bateria

    A bateria dos carros pode gerar muita dor de cabeça: mesmo quando o veículo está parado, ela pode se esgotar.

    Isso acontece porque alguns itens a consomem independente de o veículo estar ligado ou não. É o caso do alarme, por exemplo.

    Por conta disso, todo dono de carro sabe que deixá-lo sem rodar por muito tempo pode render uma surpresa desagradável: sem bateria, ele não vai pegar.

    O mesmo se aplica aos carros relíquia.

    Foto: Shutterstock

    Portanto, tente ativar o motor do seu veículo, no mínimo, 1 vez por semana. Dar uma volta na quadra é suficiente para evitar problemas com a bateria.

    Vai ficar fora e não poderá tirar o carro da garagem?

    Então, desconecte os cabos da bateria.

    Isso deve ser feito sempre que o carro for passar mais de 2 semanas sem ser ligado.

    5. Dirigir com cuidado

    A direção hidráulica, que proporciona grande conforto na hora de dirigir e, principalmente, estacionar, não é algo novo. Ela foi inventada na década de 30 do século passado, nos Estados Unidos, e chegou ao Brasil em 1967, com o Ford Galaxie.

    Contudo, nessa época, ela estava longe de ser comum como é hoje: era, na verdade, um adicional de luxo em veículos maiores.

    Além disso, ela passou por várias mudanças até chegar no estágio em que se encontra hoje.

    A principal diferença é que a direção dos carros que saem de fábrica hoje mascaram todo o esforço feito pelo veículo em manobras nos quais ele está parado.

    Acredite, elas causam um grande stress sobre toda a estrutura!

    Como, com carros clássicos, todo o cuidado é pouco, evite fazer tais manobras com a sua preciosa relíquia.

    Quando for manobrar ou tiver que girar o volante por qualquer motivo, procure fazê-lo com o carro em movimento.

    Além disso, ao dirigir, troque as marchas devagar e não pise fundo no acelerador.

    Isso também colabora na prevenção ao desgaste.

    6. Trocar o óleo periodicamente

    A lubrificação das peças de carros antigos pede ainda mais cuidado que a de carros novos.

    Além da dificuldade em encontrar peças de reposição, elas podem custar uma pequena fortuna!

    Fazer com que o carro rode periodicamente também é importante para que o óleo não perca o seu poder de lubrificação. 20 minutos por semana com o motor funcionando já basta!

    Também vale a pena ficar atento ao consumo de óleo pelo motor e a eventuais vazamentos: esses podem ser indicativos de que uma manutenção é necessária.

    A medição regular dos níveis de óleo devem estar em sua lista de cuidados com o carro.

    7. Cuidar dos pneus e das rodas

    Por questões de segurança, trocar os pneus periodicamente é um cuidado básico a ser tomado com qualquer veículo.

    Quando se trata de modelos antigos, a atenção com o assunto deve ser redobrada.

    Como carros antigos tendem a ficar muito tempo parados, é importante conferir se os pneus não estão baixos e, se estiverem, calibrá-los: pneus murchos podem deformar a cinta de metal interna.

    Foto: Shutterstock

    Ah, você sabia que eles têm prazo de validade?

    Pois é!

    Não rode se os do seu carro estiverem expirados: mais ressecados, eles ficam mais suscetíveis a danos quando entram em contato com o asfalto. Cheque sempre a data, na lateral dos pneus.

    8. Mantê-lo com boa aparência

    Boa parte da mágica de ter um veículo vintage é viajar no tempo toda a vez que você o vir!

    Para que a experiência seja sempre incrível, mantenha-o com uma boa aparência: lave e lustre o carro, fazendo retoques periódicos na pintura para que ela fique preservada e brilhante.

    Esse cuidado vai além de ter uma verdadeira obra de arte na garagem: caso você opte por vendê-lo, tenha certeza de que a conservação externa aumentará o valor do veículo.

    Foto: Shutterstock

    9. Limpar o interior do veículo periodicamente

    O cuidado com o interior do seu carro antigo é tão importante quanto o cuidado com o exterior.

    Mantenha-o sempre limpo e conservado!

    Você mesmo pode se responsabilizar por alguns cuidados. Por exemplo: é comum que os carros antigos de colecionador tenham bancos de couro, que precisam ser limpos e hidratados periodicamente. Isso, você pode fazer em casa.

    A limpeza pesada, entretanto, deve ser feita por um especialista. Novamente, vale a pena conversar com colecionadores locais para conseguir recomendações de bons estabelecimentos.

    Foto: Shutterstock

    10. Cuidar com líquidos na carroceria

    A carroceria de qualquer carro pode apresentar pontos de corrosão devido à presença de água.

    Portanto, depois de lavar o carro, rode um pouco com ele para evitar o acúmulo de água em determinados pontos da carroceria.

    Isso evita o surgimento desses pontos, que podem causar bastante prejuízo.

    Confira em nosso site as melhores ofertas de carros usados à venda.