Parceria imobiliária: vale a pena?

    Confira como funcionam as parcerias e algumas das vantagens para os corretores, principalmente para o momento em que o mercado está passando.

    Chaves na MãoPor : Chaves na Mão3 anos atrás

    Confira as vantagens e desvantagens de ser um corretor autônomo

    Se você parar e reparar, já existem muitos corretores que investem em uma ou mais parcerias imobiliárias por conta de suas infinitas vantagens. Porém, alguns profissionais ainda não aderiram a esta parceria, por não conhecer a modalidade ou por ignorar as vantagens.

    Para deixar tudo bem esclarecido, confira como funcionam as parcerias e algumas das vantagens para os corretores, principalmente para o momento em que o mercado imobiliário está passando por uma fase complicada. Confira:

    Como funciona a parceria imobiliária?

    A parceria imobiliária acontece quando dois ou mais corretores e imobiliárias se unem para otimizar os negócios. Esta união pode ser feita numa ocasionalidade, para uma venda específica ou para vendas duradouras – quando as partes se unem para trabalhar por um tempo indeterminado.

    O motivo mais comum para que uma parceria seja feita é no caso de um corretor ou imobiliária precisar de um imóvel específico em que um cliente deseja, em que o mesmo não se encontra em sua carteira de imóveis. Em situações como essa, a comissão é dividida igualmente entre os profissionais, no chamado fifty-fifty.

    Também é possível criar uma rede parceiros, um modelo perfeito para quem trabalha sozinho ou possui uma imobiliária de pequeno porte.

    Mas lembre-se, é importante buscar outros parceiros que você tenha uma compatibilidade, com uma visão parecida e que você possa confiar.

    Por que investir no modelo de parcerias?

    Confira algumas vantagens para os corretores que trabalham sozinho em pequenas imobiliárias ao apostar no modelo de parcerias. Estes perfis de profissionais são os que podem tirar mais vantagem em realizar uma parceria imobiliária.

    Por que investir no modelo de parcerias?

    Multiplique a sua carteira de imóveis

    O importante é não limitar o seu serviço aos imóveis pertencentes somente na sua carteira de imóveis. Quanto mais parceiros, mais imóveis você contará. Ao realizar uma parceria, a sua carteira poderá multiplicar, sem precisar de todo o processo de captação.

    Esta é uma vantagem perfeita para quem está começando no ramo imobiliário ou trabalha sozinho.

    Os imóveis ganham mais visualização 

    Ao ganhar mais imóveis para aumentar a sua carteira, os seus imóveis ganham mais visualização graças a parceria realizada, pois poderão, também, ser divulgados pelos meios de comunicação dos seus parceiros.

    A boa convivência gera troca de experiências

    As parcerias proporcionam mais do que a otimização dos negócios, é uma grande troca de experiências. Mesmo não tendo ligação direta ao mercado, ela pode ser levada para a vida.

    Vivendo em um mercado imobiliário competitivo, acaba sendo difícil ter alguém ao lado para pedir opiniões e confiar. Ao ter uma relação de confiança é possível otimizar ainda mais os negócios.

    É importante fidelizar os seus clientes

    As parcerias podem proporcionar a fidelização de clientes, pois mesmo que não tenha o imóvel que ele procura é possível ter uma relação de proximidade.

    Ao fidelizar um cliente o índice de procura e indicação é grande, pois ele saberá que você sempre está disposto a ajudá-lo de alguma forma.

    Mais negócios fechados

    Muitos profissionais não apostam em parcerias por garantir somente uma parte da comissão. Com o mercado sendo atingido pela crise, as vendas caem, forçando o mercado a se recuperar, mesmo que lentamente.

    Então pense bem e reflita: é melhor garantir 50% de uma venda ou nada? Por isso, a parceria pode ser uma grande oportunidade para garantir mais negócios fechados.

    Vantagens de desvantagens de ser autônomo

    Segundo José Augusto Viana Neto, presidente do Creci-SP, uma das principais vantagens de ser um profissional autônomo é a flexibilidade de horários e a liberdade de poder decidir a sua própria agenda. “No entanto, isso pode acabar prejudicando aquele profissional que não é disciplinado, fazendo com que ele perca o foco de seus negócios. É preciso ter cuidado”, alerta.

    Vantagens de desvantagens de ser autônomo

    Outro ponto que favorece o trabalho do profissional autônomo é o seu esforço, por ele ser o único responsável pelo sucesso da empresa, que inclui o processo de negociação e comissão.

    Viana ainda ressalta que o corretor de imóveis, sendo uma pessoa física, ao vender um imóvel está sujeito a uma tributação chegando até 27,5% do ganho auferido. “Com a inclusão da atividade no Simples Nacional, o percentual de tributação para microempresas (ME) e empresas de pequeno porte (EPP) tornou-se favorável, sendo o benefício bem expressivo, com uma incidência de 6% a 17,42% de acordo com o faturamento, fora a praticidade para recolhimento dos tributos obrigatórios, visto que o Simples Nacional abrange o recolhimento de todos os tributos: IRPJ, IPI, CSLL, COFINS, PIS, CPP, ICMS e ISS em uma única guia de arrecadação (DAS). ”

    Como o corretor é autônomo, é ele quem organiza seus afazeres e compromissos. Portanto, é necessário criar um planejamento de atuação e segui-lo com afinco.

    Segundo o presidente do Creci-SP, é importante que o profissional faça uma autoanálise para verificar se será possível manter-se focado mesmo com a época de negócios desfavorecidos. . “Além disso, há de se ter uma retaguarda financeira para o caso de períodos em que não forem fechadas muitas transações”, recomenda.

    Segundo Flávio Prando, vice-presidente de intermediação e marketing do Secovi-SP, a figura predominante do profissional de imóveis é autônoma. “A grande maioria são de profissionais autônomos. Apenas uma minoria, no interior do Estado de São Paulo, atua como funcionário em regime CLT”, informa.

    Flávio Prando ainda compartilha uma experiência. Ele conta que em janeiro de 2015, uma legislação foi aprovada sobre o corretor associado, regulamentando a situação em que o corretor, o profissional liberal, fixando um contrato como pessoa física com uma ou mais imobiliárias, criando parcerias ativas.

    Em contrato registrado no Sciesp (Sindicato dos Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo), as comissões sobre os negócios fechados são estipuladas previamente. Com o registro do contrato no sindicato, o corretor torna-se autônomo, ou seja, não conta com qualquer vínculo a alguma imobiliária, fazendo o seu próprio horário.
    Segundo Prando, “Antes da aprovação desta lei a associação já funcionava, mas de maneira informal”.

    Confira em nosso site as melhores ofertas de imóveis à venda.