Afinal, vale a pena investir em imóveis? Entenda agora!

    Normalmente, o que atrai tanta gente para esse mercado é a rentabilidade e segurança. Mas será que vale a pena investir em imóveis?

    Chaves na MãoPor : Chaves na Mão9 meses atrás

    Quando se trata de investimentos, a diversificação é uma palavra de ordem. Com isso em mente, muitas pessoas tendem a direcionar parte dos seus recursos financeiros para o setor imobiliário.

    Normalmente, o que atrai tanta gente para esse mercado é a rentabilidade e segurança. Mas será que vale a pena investir em imóveis?

    Para obter a resposta a essa pergunta, continua a leitura e desvende as principais dúvidas sobre o investimento no mercado imobiliário!

    Quais são as vantagens de se investir em imóveis?

    Elevado potencial de valorização

    Como se sabe, a demanda por moradia no Brasil é muito alta. Esse cenário resulta de uma certa insuficiência de imóveis somada ao elevado crescimento populacional.

    Isso faz com que a procura seja incessante — salvo em alguns momentos peculiares de crises econômicas.

    A consequência natural é a constante valorização de todo o setor imobiliário.

    Embora essa valorização possa se reduzir devido a algumas turbulências do mercado financeiro, ela mantém sua atratividade.

    Por isso, não é surpresa perceber que até alguns investidores experientes em bolsa de valores investem em imóveis.

    Proteção contra a inflação

    Uma das melhores vantagens de se investir em imóveis é a proteção contra as taxas da inflação. Isso acontece por um motivo muito simples: a adoção do Índice Nacional da Construção Civil (INCC).

    Esse índice é utilizado em todas as transações do mercado de imóveis, como o pagamento de um aluguel ou de uma parcela de financiamento imobiliário.

    Assim, o investimento no setor proporciona uma proteção do poder de compra.

    Obtenção de renda extra

    Comprar um imóvel e alugá-lo pode proporcionar uma excelente renda extra. Enquanto algumas pessoas sonham com a casa própria, milhares de outras ainda alugam imóveis.

    As razões para isso são várias, como a fuga dos elevados juros atrelados à aquisição imobiliária.

    Além disso, um bom número de pessoas não abre mão da liberdade de morar onde quiser e quando quiser. São aquelas pessoas que mudam de ambiente de tempos em tempos.

    Some-se a isso o fato de que essa busca por um imóvel alugado se mantém relativamente estável mesmo em momentos de crise.

    Tudo isso comprova que o investimento imobiliário para fins de locação é uma das melhores maneiras de obter um dinheiro a mais no fim do mês.

    O proprietário do imóvel só precisa preservar a valorização da propriedade. Para isso, basta ter uma manutenção em dia durante os períodos destituídos de inquilinos.

    Segurança financeira

    A fama de ser uma das formas de investimento mais estáveis é verdadeira.

    Em primeiro lugar, o investimento imobiliário está livre do risco de um congelamento — como a caderneta de poupança.

    Em segundo lugar, toda sociedade é baseada na existência de imóveis. Esse fato é observável da modesta loja de discos da esquina a um supermercado.

    As crises financeiras, inclusive, podem ampliar o interesse por imóveis, já que o caos econômico estimula o empreendedorismo.

    A probabilidade de um novo negócio necessitar de algum imóvel é significativa.

    Quais são as desvantagens de se investir em imóveis?

    Elevado investimento inicial

    O investimento inicial concerne ao montante necessário para colocar o negócio em andamento. Ocorre que, no mercado imobiliário, essa aplicação é relativamente alta.

    A quantia de dinheiro exigida na compra de um terreno ou construção é bem elevada, se comparada com outras opções de investimento — os próprios fundos imobiliários são um ótimo exemplo.

    Sem os recursos necessários para comprar o imóvel à vista, resta parcelar o restante do valor.

    Dessa forma, os custos desse financiamento minam uma boa porcentagem dos lucros.

    Além disso, a concentração do patrimônio em poucos ativos tende a colocá-lo em risco.

    Gastos com reformas

    Uma vez que o imóvel seja destinado à locação ou venda, isso culminará em um gasto com reformas. Sem elas, existe o risco do imóvel cair em desvalorização.

    A melhor maneira de efetuar essas remodelações é a partir de um projeto bem elaborado.

    Caso esse cuidado com o planejamento não seja tomado, uma boa parte do lucro pode ser comprometida, principalmente se os gastos com as reformas não propiciaram a valorização pretendida.

    Gastos com contratação de imobiliárias

    A opção de lidar com a venda ou locação de imóveis sem essa intermediação compreende alguns cuidados.

    Caso o proprietário mantenha outra ocupação profissional, por exemplo, ele terá que conciliar os horários de trabalho com os de visitas no imóvel.

    Como nem sempre isso será possível, os gastos com as intermediações de uma corretora imobiliária também são importantes.

    Essas empresas cobram taxas de comissões sobre a venda ou os aluguéis do imóvel em questão.

    Sobre a venda do imóvel, a comissão varia de 5% a 10% aproximadamente. No caso da locação do imóvel, a taxa é de 10% sobre cada aluguel, além do total referente à primeira mensalidade.

    Baixa liquidez

    É muito frequente alguém dizer que aproveitou uma oportunidade para comprar um imóvel.

    Geralmente, essa oportunidade foi gerada por um amplo desconto atribuído pelo antigo proprietário. Essa medida é comum, quando a necessidade da venda se torna inadiável.

    Isso evidencia que uma parcela razoável do lucro se perdeu após a negociação. Trata-se de uma consequência da dificuldade de se encontrar um comprador que tenha a quantia ideal solicitada naquele momento.

    Young businessman on the phone in office

    Além disso, não há a possibilidade de comercializar apenas uma parte da propriedade.

    Caso haja uma emergência financeira, o proprietário é obrigado a vender todo o imóvel, e não somente a parte que resolveria seus problemas.

    Como avaliar as possibilidades de investimento?

    Há, pelo menos, dois pontos que devem ser levados em consideração antes de se investir no mercado imobiliário:

    • avaliação do retorno do investimento em um longo prazo;
    • comparações com outras formas de investimento.

    Avaliação do retorno do investimento em um longo prazo

    Antes de fechar negócio, o futuro investidor deve verificar qual é a média histórica de valorização imobiliária da área em questão. Em seguida, é preciso comparar essa taxa de valorização com a da inflação registrada no mesmo período.

    Comparações com outras formas de investimento

    Nesse caso, basta simular a rentabilidade do montante disponível em variados tipos de investimento. Feito isso, basta comparar as diferentes taxas de retorno.

    É possível que o retorno financeiro proporcionado pelo aluguel do imóvel seja inferior à compra de determinadas ações ou à aplicação em debêntures, por exemplo.

    Os bons retornos comprovam que vale a pena investir em imóveis.Depois de tantas informações importantes sobre o investimento em imóveis, que tal se familiarizar com o glossário do mercado imobiliário? Nele, você encontrará as palavras e expressões mais comuns utilizadas no setor!