Reforma de casa: guia completo do planejamento à decoração

    Está pensando em reformar a casa? Saiba que essa é uma tarefa que necessita de bastante planejamento, tempo e paciência. Confira nosso guia completo!

    Chaves na MãoPor : Chaves na Mão9 meses atrás

    Está pensando em reformar? Saiba que essa é uma tarefa que necessita de bastante planejamento, tempo e paciência. Isso porque reforma de casa não é como uma obra em que se começa tudo do zero. A estrutura já está feita, e o que se quer é que essa estrutura seja modificada um pouco para se transformar em uma casa com a personalidade de seu dono.

    Então, para auxiliar nesse desafio, separamos algumas etapas importantes que devem ser feitas para que se possa economizar, mas sem perder qualidade e a fim de evitar imprevistos. Acompanhe!

    Elabore um bom planejamento

    A primeira coisa a fazer quando se pensa em iniciar um projeto, como uma reforma, é criar um planejamento. Isso fará com que você poupe dinheiro e tempo, além de evitar que você se estresse demais com alguns imprevistos.

    Pegue um papel ou crie um arquivo no computador e comece a escrever tudo o que gostaria de reformar, quanto dinheiro tem disponível, em quanto tempo pretende terminar a reforma, enfim, descreva tudo. Além disso, em relação ao orçamento, sempre conte com um dinheiro extra, pois durante a reforma talvez seja necessário comprar mais material.

    É interessante colocar no papel tudo que será modificado — por exemplo, se é só a pintura e alguns outros detalhes ou se será preciso reestruturar o encanamento, a fiação e as paredes. Se for necessário, converse com os pedreiros ou mestre de obra para verificar todos os materiais que deverão ser comprados.

    Com essas informações, crie uma planilha de gastos e coloque nela os valores que você pretende gastar com a mão de obra e com a compra dos produtos. Durante a reforma, vá acompanhando se esse orçamento está sendo respeitado. Assim, tem-se na ponta do lápis o controle financeiro e evita-se que o orçamento seja extrapolado.

    Monte um cronograma para a reforma

    Como já mencionamos, tenha em mente em quanto tempo a reforma precisa estar concluída. Para isso, crie um cronograma e defina datas para finalizar cada etapa da obra, mas tenha consciência de que possíveis imprevistos podem vir a acontecer e que o cronograma pode atrasar um pouco. Afinal, podem surgir danos que estavam escondidos e que vão demandar mais dias ou semanas para a conclusão da reforma.

    Dedique a primeira parte do cronograma para reparos mais estruturais, como troca da fiação, modificação do encanamento, construção ou demolição de paredes e colocação de piso e gesso. A partir disso, as etapas de decoração, pintura, disposição dos móveis e acabamentos podem ser iniciadas. Isso porque o reparo estrutural gera mais sujeira e acaba danificando o acabamento.

    Atente para as questões burocráticas

    Antes de começar a reforma, é preciso ter a autorização da prefeitura. Porém, há reformas que não precisam passar por essa burocracia. Os casos que necessitam são o que mexem na estrutura da casa, como a inclusão ou exclusão de quarto, mezanino, banheiro, edícula, paredes, entre outros.

    Sendo assim, se as modificações ficam apenas por conta da pintura, troca de portas e janelas e substituição do piso, não há a necessidade de autorização por parte da prefeitura.

    Então, sempre que for fazer uma alteração na estrutura da casa, é preciso juntar alguns documentos, como:

    • documento de identidade;
    • escritura ou contrato de compra e venda;
    • IPTU;
    • projeto da reforma;
    • plano de reforma.

    Os tipos de documentos solicitados podem mudar de acordo com a prefeitura, pois cada uma tem suas próprias políticas habitacionais. Então, é importante se informar sobre isso antes de tudo.

    Munido dos documentos, vá até a secretaria responsável por emitir o alvará de reforma para fazer a solicitação do seu. Só depois que a prefeitura liberar o alvará é que será possível iniciar a reforma. Caso tenha começado antes, você corre o risco de que a obra seja embargada por falta de autorização, então, não pule essa etapa se sua reforma precisar de alvará.

    Se você tem dúvidas em relação a isso, procure um arquiteto ou engenheiro civil para criar o projeto e orientar sobre o que precisa ser feito antes de iniciar as obras em si. Aliás, o projeto entregue na prefeitura precisa ter a assinatura de um desses profissionais para ser aceito. Então, já faça a pesquisa sobre qual profissional contratar.

    Invista em um projeto para sua obra

    O projeto é outra parte essencial quando se quer construir ou reformar. É por ele que os pedreiros vão se guiar para fazer as modificações necessárias e, o mais importante, dentro do prazo estipulado. Por isso, é preciso dedicar um pouco do seu tempo para a criação do projeto.

    Primeiramente, é necessário desenhar a planta atual da casa. Para isso, tire todas as medidas dos espaços. A planta pode ser desenhada a mão, mas também pode ser feita em um programa próprio para isso. Nela, coloque as janelas, portas, medidas e tudo mais que precisar.

    Agora, redesenhe a planta com as modificações desejadas, também colocando as medidas e a posição de portas, janelas e outras intervenções na estrutura. Nessa etapa, já é possível ter uma noção de como ficará sua casa depois da reforma. Então, aproveite para já medir os móveis que serão colocados e veja se todos ficarão bem dispostos e se não é necessário fazer mais modificações no projeto ou na decoração.

    Quanto mais detalhes forem inseridos nos projetos para reforma, melhor. Dessa maneira, os profissionais que realizarão a reforma terão informações suficientes para concluir cada etapa. É bom também especificar o prazo para concluir cada fase do projeto. Assim, os pedreiros estarão alinhados com o cronograma da reforma, fazendo com que ela acabe na data definida.

    Uma dica para essa etapa é redesenhar um cômodo por vez. Primeiramente, desenhe o esboço de toda a parede externa e das paredes divisórias. Depois, vá realizando as modificações por cômodo, assim, será mais fácil concluir o projeto.

    Se você já contratou ou vai contratar um arquiteto ou engenheiro civil, é essencial mostrar para ele seu projeto final. Assim, ele pode dizer o que deve ser melhorado, o que vai demandar mais tempo e dinheiro do que se pensava, entre outras dicas. Além disso, esses profissionais têm acesso a ferramentas digitais que podem ser utilizadas para demonstrar melhor como ficarão todos os cômodos da casa após a reforma.

    Contrate os profissionais com antecedência

    Não deixe para contratar os profissionais que farão sua reforma em cima da hora, quando já estiver em tempo de colocar a mão na massa. É preciso pesquisar e contratar com antecedência. Isso vai aumentar suas chances de economizar e de achar bons profissionais.

    Aliás, tenha atenção à questão de economizar demais na mão de obra, pois o barato pode sair caro. É preciso contratar pedreiros e serventes que sejam cuidadosos e caprichosos, que realizem um bom trabalho, que saibam trabalhar dentro das normas de segurança e que utilizem o material disponível da melhor maneira.

    Quando se contrata pessoas porque elas cobram mais barato, é muito comum que no meio da reforma seja preciso substituir a equipe ou que ao final seja necessário consertar alguns pontos da obra. Isso acaba gerando perda de tempo, dinheiro e materiais, já que é bem mais complicado consertar algo que já havia sido reformado porque não ficou bem-feito ou ter que encontrar novos pedreiros com a reforma em andamento.

    Além disso, bons profissionais vão lhe dar ideias, tentar trazer a melhor solução para problemas que possam surgir, além de indicar materiais que sejam bons e mais baratos. Mas também não se iluda caso um pedreiro diga que faz algo muito bem-feito, mas que por isso quer um preço exorbitante pelo serviço.

    Para encontrar os profissionais, busque indicações ou aqueles cujo trabalho você já conhece. Além disso, faça pelo menos de três a quatro orçamentos. Com eles em mãos, você pode se deparar com preços bem distintos — um orçamento pode ter o dobro do valor de outro. Escolha o profissional que lhe passar mais confiança e cujo valor do serviço esteja dentro do planejado.

    Após a escolha dos profissionais que vão realizar a reforma, é importante fazer um contrato. Nele devem constar o nome e os dados do contratante e dos contratados, quais trabalhos serão realizados, o tempo para o término da obra, a forma de pagamento e o valor. Insira também uma multa para o não cumprimento ou rescisão do contrato.

    O contrato é uma forma de garantir os direitos e deveres de ambas as partes. Assim, evita-se dor de cabeça caso os funcionários abandonem a reforma sem terminá-la ou não façam o que foi determinado.

    Prefira materiais de boa qualidade

    Para a compra de materiais, não considere apenas o seu preço. Afinal, se você está realizando uma reforma, deve fazê-la de forma que fique bem feita e que dure por muito tempo, para não ter que refazê-la em poucos meses ou anos.

    Então, pesquise bem os produtos disponíveis no mercado e analise se os valores dos de maior qualidade cabem no orçamento. Mas lembre-se de que nem sempre o mais caro é o melhor. Um produto de qualidade é o que tem mais durabilidade e resistência, além de proporcionar um bom acabamento.

    Após definir quais produtos devem ser comprados, é hora de pesquisar os preços. Faça mais de dois orçamentos dos materiais de construção e veja qual loja do ramo tem o melhor custo-benefício e melhores formas de pagamento. Só depois disso vá para a etapa das compras. Um detalhe aqui é que se você não tem onde guardar muito material, vá comprando de acordo com a etapa em que a reforma se encontra. Assim, os produtos comprados não vencem e nem ficam sob chuva e sol, fazendo com que você perca dinheiro.

    Um exemplo bem típico que acontece quando se quer economizar comprando materiais baratos é na hora da pintura. Ao escolher uma tinta mais barata, você pode estar cometendo um grande erro. Isso porque talvez ela precise de mais demãos do que se você tivesse comprado outra de melhor qualidade. Além disso, com o passar do tempo ela pode desbotar mais rapidamente ou manchar, caso precise limpar a parede.

    Então, não economize pensando que materiais sem qualidade podem ser bons. Muitas vezes, ao fazer isso, você gasta mais e ainda tem que consertar algo que foi reformado há pouco tempo.

    Faça os reparos estruturais no início da reforma

    Como já comentamos no início do texto, é muito importante separar a reforma em duas partes: reparos estruturais e decoração. Os reparos estruturais acabam causando mais sujeira e demandando mais esforço, pois eles mexem nas bases da casa.

    Então, se precisar quebrar uma parede ou mudar a instalação elétrica, o encanamento e até o desenho do telhado, faça isso no início da reforma. Após terminada a etapa de reparos estruturais é que se deve começar a de decoração.

    Um exemplo prático é imaginar uma situação em que, após a pintura de uma parede, é preciso trocar o encanamento, exigindo que a parede recém-pintada seja quebrada. Não faz sentido, não é mesmo? Além de mais gasto com tinta para repintar, será preciso fazer o trabalho de pintura duas vezes.

    Além disso, exija a limpeza do local e organização com os materiais e ferramentas. Isso evita acidentes e deixa o espaço melhor para se trabalhar. Ao final da reforma, também é necessário realizar a limpeza geral do local antes da mudança.

    Defina o estilo de decoração da sua casa

    Após terminar os reparos estruturais, é hora de iniciar a outra etapa da reforma: a decoração. É nessa parte que são feitas as pinturas dos cômodos, a troca do piso, a colocação de azulejos, a compra e a disposição dos móveis e objetos decorativos, além da instalação de outros itens, como torneiras, chuveiro e lustres.

    Mas antes de começar todo esse trabalho, é preciso saber exatamente qual estilo de decoração será aplicado na casa. Só assim será possível determinar texturas, móveis e cores para parede da sala e de outros ambientes. Temos diversos estilos que podem servir de inspiração. Confira alguns a seguir.

    Retrô

    Para quem gosta de móveis e objetos das décadas de 50, 60 e 70 e quer ter tudo isso em sua casa, o retrô é o estilo mais indicado. Nele são combinadas cores vibrantes, texturas e objetos do passado que proporcionam nostalgia e alegria.

    Combine aquela vitrola da sua avó, a estante de seu tio-avô e objetos adquiridos em antiquários ou em bazares com móveis novos que têm esse estilo e disponha-os em sua casa. É interessante usar cores contrastantes, como azul, vermelho e verde — que eram as cores utilizadas em geladeiras, fogões e eletrodomésticos de antigamente — para criar pontos de destaque.

    Moderno

    Em contrapartida com o estilo anterior, o moderno pede móveis e objetos decorativos que tenham um design mais atual. Além disso, as cores indicadas são mais nos tons neutros, como branco e preto. Para dar destaque a algum detalhe, como quadro, luminária ou vaso, podem ser utilizadas cores como vermelho e azul ou outra mais vibrante.

    Rústico

    O estilo rústico proporciona um clima de fazenda e que te transporta para mais perto da natureza. A madeira está muito presente em ambientes com esse tipo de decoração, seja nas paredes, seja nos móveis. E quanto menos bem acabado e mais rústico, melhor. Cadeiras de balanço ou mesa de pinho são elementos que podem ser utilizados nos cômodos. Em relação às cores, os tons de marrom e bege são bem presentes, com alguns detalhes em azul, verde ou amarelo.

    Romântico

    O estilo romântico traz móveis provençais, estampas florais e cores em tons pastel (azul, rosa e verde). Um ambiente romântico é aconchegante e tem boa iluminação. Os móveis apresentam linhas curvilíneas e a presença de estofados é bem frequente pelos cômodos.

    Boho

    O boho proporciona um ambiente alegre, colorido e aconchegante. Para isso, são utilizadas cortinas, pendentes, colchas, almofadas e tapetes com estampas coloridas. E para quem gosta de natureza, podem ser utilizadas plantas, como cactos, suculentas, lírios, samambaias, temperos, ervas medicinais, entre outras.

    A proposta é decorar o ambiente de forma despojada e colorida com objetos e peças artesanais comprados em viagens e bazares.

    Esses são alguns exemplos entre tantos estilos de decoração, e como se pode perceber, é preciso decidi-los antes mesmo de iniciar a pintura ou a colocação do piso, pois as cores e texturas desses itens devem combinar com o estilo do restante do ambiente.

    Se, de repente, você gostar de mais de um estilo, pode tentar combiná-los ou, então, variá-los entre os cômodos. Assim, é possível ter uma sala com detalhes no estilo boho e uma cozinha mais rústica, por exemplo.

    Dependendo de qual estilo você escolher, pode economizar bastante nos móveis, já que eles podem ser comprados de terceiros ou feitos com madeira de demolição. Então, escolha, planeje, coloque no papel, verifique o dinheiro que ainda resta para essa etapa e tente se manter dentro do orçamento.

    Esteja preparado para os imprevistos

    As dicas que foram passadas até agora servem para que imprevistos sejam evitados, porém, sempre pode surgir algum que vai fazer com que você tenha que agir para resolvê-lo. Nessa hora, contar com a assessoria de um engenheiro ou arquiteto, além de ter bons pedreiros, vai fazer com que o problema seja resolvido de maneira mais certa e rápida.

    O que não pode acontecer é deixar que os imprevistos façam com que você perca a paciência ou fique irritado. Analise a situação e resolva o problema. Para ajudá-lo, elencamos a seguir alguns erros típicos em obras que devem ser evitados para que imprevistos não surjam.

    Rachaduras

    As rachaduras são sinais de que algo não foi bem feito ou de que não foi utilizado um material de qualidade. Quando elas são superficiais, é possível consertá-las facilmente. Porém, quando são mais profundas, é preciso mexer na estrutura da casa ou do cômodo. Dessa forma, só um profissional da área pode resolver o problema.

    Então, não deixe de investir em bons profissionais e materiais, pois esse é um imprevisto muito comum que acontece quando se pretende economizar, não levando em consideração a qualidade do material e do serviço prestado pelo pedreiro.

    Gambiarras

    Procure passar longe das gambiarras. Apesar de elas solucionarem a situação rapidamente, podem criar um grande problema com o passar do tempo. O mais comum é encontrá-las no encanamento e na rede elétrica.

    Imagine um banheiro que teve seu encanamento feito sem planejamento. Pode ser que na hora que o chuveiro for ligado ou que a descarga for acionada a água não saia com tanta pressão como se esperava. E a preocupação só aumenta se a gambiarra for feita na rede elétrica, pois pode causar até incêndios.

    Uma situação comum na rede elétrica é quando acontece uma sobrecarga e a chave principal cai. Isso acontece quando não é calculado com exatidão o tanto de energia que cada equipamento demandará e, assim, quando são ligados todos ao mesmo tempo, a rede não dá conta de fornecer a energia necessária. O micro-ondas, o ar-condicionado e o chuveiro são aparelhos que necessitam de bastante energia, então, é bom dar uma atenção especial a eles.

    Por isso, mais uma vez, contrate profissionais que façam um serviço de qualidade. Caso contrário, você terá que contratar uma nova pessoa para arrumar o que poderia ter sido feito corretamente durante a reforma.

    Falta de orçamento

    É preciso fazer um orçamento para que a reforma não tenha que ser interrompida devido à falta de recursos para comprar os materiais. Se isso acontecer, o transtorno poderá ser imenso, já que os pedreiros ficarão sem serviço e você sem a continuação da reforma, podendo até perder parte do que já foi feito, caso fique exposto ao ar livre.

    Então, não se esqueça de fazer o orçamento e segui-lo. Caso perceba que está gastando mais do que devia, veja o que pode ser economizado. Além disso, sempre trabalhe com uma margem a mais para o orçamento, pois, se surgirem imprevistos — como a compra de mais material —, você tem de onde tirar o dinheiro.

    Como se pode perceber, uma reforma de casa é composta por várias etapas e passos que devem ser seguidos para economizar tempo e dinheiro e para que imprevistos sejam evitados. Sendo assim, se você realizar cada etapa com o máximo de dedicação, o trabalho ficará pronto dentro do prazo e bem-feito.

    Agora, convidamos você a assinar a nossa newsletter para receber mais conteúdos como este diretamente na sua caixa de e-mails.