Dicas para cuidar das plantas de sua casa

    Há muitas maneiras de cuidar das plantas dos seus terrenos em Curitiba. A seguir, acompanhe 9 dicas para mantê-las mais saudáveis ​​e felizes.

    Chaves na MãoPor : Chaves na Mão5 meses atrás

    E torná-las mais felizes e satisfeitas por estarem ao seu lado

    Há muitas maneiras de cuidar das plantas dos seus terrenos em Curitiba

    A seguir, acompanhe 9 dicas para mantê-las mais saudáveis ​​e felizes.

    Foto: Pexels

    1. Escolha o local onde as plantas ficarão baseando-se na luz em seu espaço

    Verifique a direção em que suas janelas estão voltadas. 

    Foto: Pexels

    As janelas viradas para o sul dão luz brilhante, enquanto que as janelas voltadas para o leste ou oeste dão luz moderada e as janelas viradas para o norte dão pouca luz

    A maioria das plantas que ficam em ambientes internos preferem luz solar direta e brilhante.

    Se o sol é intenso através das janelas dos seus terrenos em Curitiba, adicione uma cortina bonita para difundir a luz. 

    Foto: Pexels

    Cactos e algumas plantas como a aloe vera podem, naturalmente, lidar com a luz solar mais brilhante e direta.

    Lembre-se de que você não quer expor demais ou subexpor qualquer planta. Elas precisam da quantidade certa de luz para viver.

    Foto: Pexels

    2. Descubra a compatibilidade da sua planta

    Um horário de trabalho ocupado, a vida social e o esquecimento geral podem levar à negligência não intencional da planta.

    Algumas plantas podem lidar com esse tipo de estilo de vida nos seus apartamentos em Curitiba

    Foto: Pexels

    Um esquecido como você irá desfrutar da resiliência de suculentas de baixa manutenção, zamioculcas ou plantas-cobra, todas muito bonitas, desde que tenha luz suficiente (luz brilhante e baixa, respectivamente). 

    Elas não terão problemas em manter-se bonitas e alegres até você retornar de viagem.

    Foto: Pexels

    Se tiver mais tempo, pode experimentar nos seus apartamentos em Curitiba algumas plantas do ar (tillandsias), orquídeas ou até samambaias, que gostam muito de atenção. 

    Como uma névoa para o rosto, uma borrifada extra de água filtrada diariamente entre as regas mantém os níveis de umidade agradáveis ​​e equilibrados para essas plantas delicadas.

    Foto: Pexels

    3. Menos (água) é mais

    É melhor regar as plantas do que regar a água. 

    Foto: Pexels

    Demasiada água pode levar à podridão da raiz. Regue a planta somente quando ela precisar. 

    Verifique primeiro o solo para se certificar de que está seco, pelo menos, 5 cm abaixo da superfície. 

    Se seu solo parece escuro, úmido e gruda no dedo, sua planta tem água suficiente para se cuidar por enquanto.

    Foto: Pexels

    A frequência das regas também muda ao longo do ano. 

    As plantas precisam de menos água no inverno, quando crescem mais lentamente e os dias são mais curtos e a luz do sol é menos intensa. 

    Foto: Pexels

    Se for época de calor e o solo estiver secando mais rápido, as suas plantas podem precisar de um pouco mais de água. 

    As folhas murchas ou o solo que parece afastado dos lados são sinais de uma planta sedenta.

    Use sempre água morna porque absorve melhor. 

    Foto: Pexels

    Despeje a água diretamente no solo ao redor da base da planta, porque as plantas absorvem a água de suas raízes. 

    A única exceção aqui são as Epiphytes e as plantas aéreas, que precisam de água em suas folhas também.

    4. Eleve os níveis de umidade

    Tentar ao menos ser fiel ao ambiente natural de suas plantas as ajudará a prosperar em ambientes fechados. 

    Foto: Pexels

    A maioria das plantas tropicais, como as samambaias e as orquídeas, preferem umidade alta e luz moderada e indireta. 

    Borrife essas plantas com água filtrada entre as regas

    Durante os meses secos do inverno, agrupar plantas semelhantes ajuda a criar um microclima mais úmido. Um umidificador também pode ajudar e é ótimo, inclusive, para humanos. 

    Foto: Pexels

    Por outro lado, a maioria dos habitantes do deserto, como os cactos, prefere ar seco e luz brilhante e direta, sem sombra alguma. 

    Eles definitivamente não precisam receber borrifadas de água e não se importarão tanto com o nível de umidade das suas casas em Santa Felicidade.

    5. Busque a estabilidade no ambiente

    Mantenha o ambiente doméstico das suas casas em Santa Felicidade o mais estável possível. 

    Foto: Pexels

    Mudanças extremas podem estressar as plantas. Evite colocá-las perto de radiadores e aparelhos de ar condicionado que podem criar correntes de ar quentes ou frias.

    6. Ignore o fertilizante

    Foto: Pexels

    Não há problema em deixar o fertilizante de lado. 

    Muito fertilizante pode fazer mais mal do que bem. As plantas domésticas tendem a não precisar de fertilizantes com a mesma frequência que as plantas externas. 

    Foto: Pexels

    Se você optar por fertilizar sua planta, é melhor fazê-lo durante a estação de crescimento (início da primavera até o início do outono) e siga a regra geral: “menos é mais”. 

    A maioria dos fertilizantes comprados em lojas deve ser diluída em água antes do uso.

    Se você tiver sua planta há pelo menos um ano, poderá fertilizá-la pela primeira vez. 

    Sugerimos usar um fertilizante para todos os fins. E sempre siga as instruções. Se você acabou de trocar o solo, pule o fertilizante. 

    O solo fresco tem nutrientes suficientes.

    Foto: Pexels

    7. Observe suas plantas sempre que puder

    As amizades são frágeis. 

    Você e sua planta precisam de tempo para se ajustar ao coexistir. 

    Foto: Pexels

    Para conhecê-la, dê à sua planta um pouco de atenção extra. 

    Observá-la lhe dirá quando regar e quando não, se a temperatura está muito alta ou muito baixa e se ela está recebendo sol suficiente. Além disso, elas são muito agradáveis ​​de se olhar.

    8. Não tenha medo de fazer a troca de vaso da sua planta

    Foto: Pexels

    De tempos em tempos, as plantas precisam passar por esse processo, e isso acontece por três razões: 

    • Os nutrientes se esgotam;
    • O espaço fica pequeno para o crescimento das raízes;
    • O substrato deixa de apresentar as características ideais para o desenvolvimento da planta. 

    Você saberá que já está na hora de replantar (ou transplantar) a planta para um novo vaso quando as raízes começarem a aparecer na superfície do vaso ou se o vaso começar a ficar trincado ou rachado. 

    9. Certifique-se de furar o vaso para a drenagem da planta em caso de excesso de água

    Foto: Pexels

    Quando você muda sua planta para um vaso novo e maior, seja o vaso de terracota, cerâmica ou fibra de vidro, verifique se a planta tem drenagem, uma palavra chique para “buraco na parte inferior”. 

    Isso evitará o excesso de água, já que qualquer excesso de água terá um lugar para fluir. 

    Foto: Pexels

    Para evitar um chão molhado ou que fique pingando água do peitoril da janela, pegue um pires ou bandeja e coloque-o embaixo do vaso onde a planta está.

    Compartilhe o post e deixe as suas redes sociais ainda mais floridas com essas ideias!