Entenda quais cuidados ter na reforma de quarto de criança

    Poucos ambientes de uma casa recebem tanta atenção quanto a reforma do quarto da criança. Preocupações com a segurança e conforto são fundamentais.

    Chaves na MãoPor : Chaves na Mão2 semanas atrás

    Poucos ambientes de uma casa recebem tanta atenção quanto aqueles específicos para os filhos. Afinal de contas, o planejamento desses cômodos é repleto de preocupações quanto a segurança, conforto e acessibilidade para os pequenos. Com esse dilema em mãos, desenvolvemos este artigo especialmente para a reforma em quarto de criança!

    Vale lembrar que esse é um procedimento que não tem apenas uma justificativa estética, pois, diferente do restante da casa, o cômodo em que as crianças vivem, brincam e crescem deverá acompanhar esse desenvolvimento em todas as suas fases. Mas quando esse investimento se torna importante? Para além disso, com o que se preocupar no momento da reforma?

    Não perca tempo e encontre agora a resposta para essas curiosidades com esta leitura!

    O momento em que a reforma em quarto de criança se torna necessária

    De maneira semelhante à reforma nos demais cômodos de uma casa, as alterações no quarto de criança são justificadas pela necessidade de uma atualização na estética, no propósito e na funcionalidade do ambiente.

    Nesse ambiente, porém, a urgência por mudança é mais frequente, dado o desenvolvimento acentuado dos pequenos, desde seu estágio inicial, como um recém-nascido, até sua adolescência.

    A primeira transição a exigir uma reforma é logo quando a criança deixa de ser um bebê, apresentando novas capacidades de acordo com o seu desenvolvimento físico, intelectual, social e emocional. Por isso, uma renovação do quarto a partir dos dois anos de idade é fundamental, garantindo que a criança tenha um ambiente que fomente sua curiosidade e acompanhe o seu crescimento.

    Perceba que a simples exposição a livros, em algum canto confortável do quarto, poderá criar o cenário perfeito para que se desenvolva o hábito da leitura de maneira espontânea. Sendo assim, mesmo os detalhes podem contribuir para a construção de uma criança mais saudável, ágil, inteligente e sociável.

    Os sete principais cuidados ao reformar esse ambiente

    Como você pôde ver acima, existirão alguns momentos em que os pais deverão renovar certas coisinhas nos quartos dos pequenos. Então, decidimos priorizar neste artigo apenas os cuidados e dicas pertinentes à primeira transição. Confira!

    Pisos

    O chão é um perigo que preocupa todos os pais, já que representa uma constante ameaça aos pequenos que ainda desenvolvem seu equilíbrio. Mas, antes de recorrer aos carpetes e sua maciez incomparável, lembre-se: os melhores pisos são aqueles que não acumulam resíduos de poeira, como as opções em vinil.

    O pó em excesso poderá interferir na saúde respiratória da criança, prejudicando seu desenvolvimento. Por isso, evite todas as alternativas que apresentam vãos ou superfícies que absorvam a poeira.

    Tintas

    Apesar de os papéis de parede serem uma boa solução para conter os danos ao mesmo tempo em que apresentam uma boa decoração, nem sempre os pais optarão por essa escolha. Pensando nisso, o correto é investir em tintas acrílicas para revestir a parede dos quartos de criança, justamente por sua maior durabilidade e resistência à água e exposição solar.

    Lembre-se de que, apesar de ser um quarto infantil, as situações vividas lá dentro serão as mais “malucas”, com massinhas de modelar e “amoebas” pelas paredes, vãos e portas. Líquidos serão derrubados das maneiras mais desastrosas que se possa imaginar. Por isso, o quarto deve ser tão funcional para as crianças quanto prático para quem o limpará.

    Iluminação

    Esse é um critério que demanda atenção dos pais. Luzes muito diretas e intensas poderão interferir na produção de melatonina, um hormônio fundamental na manutenção do sono. Sendo assim, a iluminação artificial em horários inadequados poderá distorcer o relógio natural da criança, desequilibrando sua rotina e desempenho.

    Portanto, o ideal é aproveitar ao máximo a iluminação natural disponível, o que pode ser atingido com reformas pontuais na ampliação de janelas e áreas envidraçadas. Ainda que esse seja um procedimento mais difícil para as famílias que residam em prédios, também pode-se investir em cores mais claras no interior do cômodo, ampliando a percepção de espaço.

    Mobília

    Todos concordamos que o quarto das crianças deve aliar funcionalidade e segurança, não é mesmo? Pensando nisso, os pais devem priorizar os móveis projetados para esses ambientes.

    Como exemplo, perceba que as mobílias específicas contam com boas soluções, como travas nas gavetas, evitando que estas despenquem sobre a criança que se apoiar nela. Além disso, bordas curvas e sem arestas protuberantes serão cruciais para evitar lesões sérias.

    Acessibilidade

    Esse é outro detalhe importante para o quarto das crianças em desenvolvimento. Conforme elas crescem, também aumenta sua curiosidade, tornando-se mais independentes em suas decisões. Sendo assim, é fundamental que o novo quarto seja acessível, com prateleiras de brinquedos e livros a uma altura coerente, evitando peripécias que possam resultar em machucados.

    Segurança

    Respeitar a privacidade dos filhos é um quesito fundamental para a saúde de uma relação familiar. Justamente por isso, alguns pais ficam constrangidos com a ideia de instalar câmeras e dispositivos de emergência no quarto dos pequenos.

    Mas, durante a infância, essas precauções ainda são justificáveis, já que as crianças ainda não desenvolveram uma individualidade tão particular a ponto de entenderem ou aproveitarem a privacidade que merecem. Assim, câmeras, como as babás eletrônicas, ainda são dispositivos pertinentes e que permitem um socorro ágil, caso necessário.

    Diversão

    Óbvia e finalmente, o quesito fundamental aos quartos infantis! Para o desenvolvimento da criança, é importante que ela conte com brinquedos e jogos que sejam desafiadores e que, além disso, também estimulem suas habilidades cooperativas, facilitando sua vida social ao longo do crescimento.

    Mas, ainda assim, os pais deverão estar atentos às condições de seus filhos. Como exemplo, perceba que não é apropriado encher o quarto de pelúcias quando a criança apresenta problemas respiratórios agravados pelo acúmulo de poeira, como a rinite alérgica.

    Todos os brinquedos, móveis e aparatos devem facilitar a convivência no ambiente, evitando o agravamento de condições médicas e afins. Já em um contexto psicológico, também vale a pena prestar atenção à maneira como reagimos às diferentes cores, buscando tons que sustentem a tranquilidade do ambiente.

    Lembrou-se de outros cuidados durante a reforma em quarto de criança? Então não perca a oportunidade de colaborar com a discussão deixando um comentário abaixo!

    Encontre o imóvel ideal para comprar ou alugar com várias ofertas.