O que levar em conta no projeto de paisagismo?

    Ao pensar em fazer um projeto de paisagismo, temos que identificar o melhor grupo de profissionais para realizar o trabalho, e pôr as mãos à obra.

    Chaves na MãoPor : Chaves na Mão5 anos atrás

    Ao pensar em fazer um projeto de paisagismo, temos que considerar uma grande quantidade de aspectos para que o resultado seja o desejado.

    O primeiro ponto é decidir o que desejamos. E, depois de identificar o melhor profissional ou grupo de profissionais para realizar o trabalho, pôr as mãos à obra

    Às vezes não avaliamos bem a quantidade de profissionais que participarão de um projeto de paisagismo. A época do jardineiro amador, com conhecimento prático e sem formação acabou há muito tempo.

    Hoje, além do arquiteto paisagista, do engenheiro agrônomo ou do paisagista, também devemos considerar a necessidade de contratar os serviços de especialistas em luminotecnia e em irrigação, por exemplo.

    Em caso de obras hidráulicas mais complexas, como lagos ou espelhos d’água, outros profissionais devem ser incorporados à equipe, sem esquecer a empresa de jardinagem responsável pelo preparo do terreno, plantio e manutenção do jardim. O tamanho e a qualificação da equipe dependerão da complexidade do trabalho a ser executado.

    Uma vez definido o alcance do trabalho, é preciso considerar a insolação, a ventilação, os espaços a destacar ou a esconder.

    A utilização de massas de vegetação para ocultar construções vizinhas ou elementos pouco atrativos é uma boa solução. Telas ou treliças com trepadeiras são uma forma econômica e criativa de criar barreiras visuais e ainda acrescentar mais verde e cor ao jardim.

    Fotografia de Oki Hiroyuki

    Uma análise dos fluxos de circulação, dos pontos focais, dos pontos e detalhes que queremos destacar é importante e deve ser feita nessa fase.

    DLC Arquitectos

    Não há uma solução mágica, uma receita de bolo que possamos repetir constantemente, pois cada caso é um caso e cada cliente tem necessidades e desejos distintos.

    Um bom profissional saberá formular as perguntas certas para conhecer melhor o cliente e atender às suas expectativas.

    Propor as melhores soluções com os meios que dispomos é um desafio que todo profissional enfrenta no dia a dia.

    A topografia, o tamanho do terreno, o acesso aos materiais, o tamanho das floreiras, a disponibilidade de água e energia, tudo isso deve ser considerado.

    Às vezes em obras de grande porte, como shoppings ou indústrias, as soluções mais criativas devem responder a orçamentos muito ajustados e esse é mais um desafio: compatibilizar custos e grandes áreas exigem esforço e criatividade.

    centenas de plantas que podem ser utilizadas em paisagismo. Lamentavelmente a maioria dos paisagistas reduz o seu vocabulário botânico a poucas espécies e todos os jardins acabam ficando com a mesma cara, sem nenhuma personalidade.

    Um bom profissional deve poder utilizar em seus projetos mais de 500 espécies, só assim poderá oferecer a melhor alternativa para cada situação. O mercado está começando a ficar saturado de buxinhos, fornios, cipestres, babu-mossó e das mesmas plantas e soluções de sempre.

    Conhecer as plantas adequadas para cada lugar é o que diferencia um bom profissional. As plantas são os elementos que compõe o jardim: é o momento de considerar cores, texturas, tamanhos, combinações cromáticas, tons e acrescentar o componente tempo.

    O jardim como elemento vivo que é, muda constantemente, as plantas crescem, perdem as folhas, florescem, algumas precisam ser trocadas e esse dinamismo é o que diferencia o paisagismo de outras profissões. O jardim muda ao longo do ano e ao longo do tempo: bons profissionais são capazes de antecipar e prever essas mudanças.

    O último ponto a ser considerado é a manutenção. Jardins mal planejados tem elevado custo de manutenção e exigem troca periódica de plantas.

    Além do custo e de uma maior demanda por mão de obra, pode implicar também uma descaracterização do projeto original. É bom evitar plantas que precisem ser trocadas com frequência, que demandem podas regulares ou que tenham crescimento muito rápido.

    Priorize plantas de crescimento mais lento, que sejam atrativas ao longo de todo o ano e que acompanhem as tendências da moda, porque o jardim também segue tendências e exige profissionais que se mantenham atualizados.

    Agora ficou mais fácil pensar no seu próximo projeto de paisagismo.

    Continue com a gente e confira qual o melhor material para revestimento de calçadas.