Faça sua busca com a mesma eficiência no computador, tablet ou celular!

Baixe o aplicativo Chaves na Mão.

Toyota Corolla

Dê sua opinião sobre Dê sua opinião

Confira o preço do Toyota Corolla: Tabela FIPE

História do Corolla

COROLLA PRATA

As linhas da Toyota costumam ter uma longa historia e o Corolla, subcompacto de luxo da marca japonesa, não é diferente. O lançamento do primeiro Corolla ocorreu em 1966 no Japão, sendo rapidamente exportado para Austrália e Estados Unidos. O carro era equipado com motor 1100 cilindradas e contava com uma versão fastback (mais curta que o sedã) chamada Sprinter.
Em 1970 o carro recebe linhas mais curvilíneas e novos motores de 1400 e 1600 cilindradas como a segunda geração do Corolla, que continuava a venda apenas no Japão, Austrália, Nova Zelândia e Estados Unidos. Já em 1974, seguindo o ciclo de atualização preferido pela Toyota na época, a terceira geração surge maior, mais pesada e mais arredondada devido a inclusão de proteções contra impacto laterais nas portas.

COROLLA ANTIGO

A quarta geração do modelo marca o retorno ao visual quadrado, de linhas retas, que seria característico dos automóveis na década de 1980. Pela primeira vez torna-se disponível, como opcional, a injeção eletrônica de combustível, aumentando a potência e o desempenho dos motores 1.1l e 1.2l com dupla carburação. Em 1983, a quinta iteração do Corolla passa a utilizar tração dianteira em quase todas as versões, enquanto que a próxima versão do modelo, lançada em 1987, volta a ganhar formas arredondadas e começa a destacar o  Corolla como um subcompacto de luxo.
1991 marca o abandono da carburação em favor da injeção eletrônica de combustível na linha Corolla e o carro começa a adquirir as formas que o tornaram mundialmente famoso. É esta geração que começa a ser importada para o Brasil em 1992 com a abertura do mercado e que conquistou um lugar especial no mercado nacional devido à sua beleza e excelente desempenho. Pouco tempo depois, a fábrica de Indaiatuba, interior de São Paulo, começa a produzir o modelo em território brasileiro.

COROLLA BRANCO ANTIGO

O final do milênio ainda conheceu a oitava geração do carro, lançada em 1995, foi a primeira linha da Toyota a ser adaptada especificamente para os mercados em que estava disponível, recebendo alterações cosméticas de acordo com o gosto de cada país. Também foi a primeira a utilizar motores com bloco em alumínio, tornando os Corollas produzidos a partir de 1998  mais leves que seus antecessores.
Em 2000 a Toyota altera ainda mais o visual do modelo, com perfil mais aerodinâmico e arrojado, além de mais longo e confortável. Além das alterações cosméticas, o Corolla recebeu mais tecnologia, como ABS com EBD e motor 1.8l bicombustível que, ao contrário de outros motores flex, entregava a mesma potência final com etanol ou gasolina.
Entre 2006 e 2012 foi produzida a décima geração do Corolla, novamente redesenhada para se adequar à nova plataforma MC, mais larga que a anterior e que esteve disponível no Brasil a partir de 2008, produzida nacionalmente, com motores de 1.6l e 1.8l Flex.
A geração atual do Corolla começou a ser vendida mundialmente em 2013, com novo design e novas opções mecânicas. Foi considerado o carro mais vendido no mundo desde 1974, com mais de 40 milhões de veículos em circulação, superando até mesmo o Fusca (Volkswagen).

COROLLA 2011 COROLLA 2011 COROLLA 2011 COROLLA 2011 INTERNO 2011 INTERNO 2011 INTERNO 2011 COROLLA 2010 INTERNO 2010 COROLLA 2010 COROLLA COROLLA 2014 COROLLA 2014 COROLLA 2014 COROLLA 2014 PAINEL COROLLA MULTIMÍDIA COROLLA COROLLA COROLLA COROLLA

Especificações técnicas

NOVO COROLLA



A décima primeira geração do Corolla tornou-se referência no Brasil em termos de sedã. Com 4,6 m de comprimento e 2,7 m entre os eixos, 1,5 m de altura e 1,8 m de largura, o carro dispõe de espaço mais que suficiente para os ocupantes sem perder conforto. O porta malas recebe até 470 litros de bagagem e o tanque de combustível comporta até 60 litros.
A linha conta com duas opções de motorização: o 1.8l Dual VVT-i 16V DOHC Flex, que gera 144,1 cv com etanol ou 132 cv com gasolina e o 2.0l Dual VVT-i 16V DOHC Flex, capaz de entregar 153 cv com etanol ou 142 cv se abastecido com gasolina. A transmissão pode ser manual com seis velocidades ou automático Multidrive CVT com modo sequencial de 7 marchas.
Todas as versões do Corolla contam com sistema de partida a frio sem subtanque, direção eletroassistida progressiva EPS, freios ABS com EBD, ar condicionado, ajustes dos bancos do motorista e do passageiro, computador de bordo e regulagem elétrica dos espelhos retrovisores externos. As versões disponíveis no mercado nacional são a GLi, a XEi, e a Altis.
A versão GLi entrega o pacote básico do Corolla, sendo a única a utilizar o motor 1.8l e pode ser equipada com o câmbio automático Multidrive CVT. Nesse caso, é possível também, como opcional, incluir bancos de couro, banco traseiro bipartido 60/40, sistema de áudio compatível com MP3, AAC, WMA, além de CD e rádio AM/FM.

A composição intermediária XEi, com motor 2.0l e transmissão automática, pode receber ar condicionado digital no lugar do equipamento manual de série, espelho retrovisor interno antiofuscante eletrocrômico, espelhos externos retráteis, modo de direção Sport, sistema multimídia com GPS e TV digital integrados em uma tela LCD de 6,1”, controles de áudio, telefonia e computador de bordo no volante.
Por fim, no topo de linha está a versão Altis, que além dos itens das versões anteriores ainda dispõe de ajustes elétricos de altura, distância, inclinação no banco do motorista, controle de velocidade de cruzeiro, sistema Smart Entry para destravamento das portas por sensores e Start Button/Push Start para partida sem chave. O motor é o 2.0l com transmissão automática e Paddle Shift no volante, além do modo de direção Sport de série.

Consumo

Apesar da grande potência entregue pelos motores com tecnologia de comando de válvula VVT-i, tanto a versão 1.8l quanto a 2.0l surpreendem pelo baixo consumo de combustível. Um Corolla GLi, equipado com o 1.8l Dual VVT-i 16V DOHC Flex, por exemplo, percorre até 7,8 km/l na cidade e 9,2 km/l na estrada se abastecido com etanol, e 11,4 km/l urbanos e 13,2 km/l rodoviários com gasolina. Já o motor 2.0l Dual VVT-i 16V DOHC Flex que movimenta as outras versões do Corolla rende até 7,2 km/l em ruas e 8,8 km/l em rodovias com etanol, ou 10,6 km/l na cidade e 13,2 km/l fora dela quando abastecido com gasolina.
 

Manutenção

A Toyota é conhecida por ser uma das marcas mais confiáveis em termos de durabilidade de seus veículos e isso se reflete no custo de manutenção dos carros, que raramente precisam visitar a oficina para além das revisões periódicas e verificações de segurança. Ainda que o custo das peças e do serviço em um Corolla não seja dos mais baixos, a frequência com que isso é necessário, salvo em caso de acidentes, é tão baixa que já é ditado popular que um Toyota tem manutenção quase zero.

Valor de revenda

COROLLA BRANCO TRASEIRO

Em virtude da fama de segurança, do relativo luxo do carro (que não é o topo da linha Toyota, ao qual é ocupado pelo Camry), economia e robustez, o Corolla é um dos sedãs com melhor preço de revenda no mercado nacional.


 

Avaliação do veículo

  • Avaliação geral
    0
  • Design  
    0
  • Performance  
    0
  • Conforto e Acabamento 
    0
  • Dirigibilidade 
    0
  • Consumo de Combustível 
    0
  • Manutenção 
    0
  • Custo x Benefício 
    0